Xi Jinping e Putin acordam forma para combater sanções impostas pelo ocidente

CNN Portugal , com Lusa
15 jun, 14:46
Xi Jinping e Vladimir Putin

O acordo entre os dois países vai estender-se às áreas da energia, finanças, indústria, transportes

O presidente russo Vladimir Putin acordou, numa chamada telefónica com o homólogo chinês, Xi Jinping, expandir a cooperação entre os dois países na área da finança, energia e da indústria, devido às sanções impostas pelo ocidente devido à Ucrânia, avança a agência Reuters. 

"Foi acordado expandir a cooperação em energia, finanças, indústria, transportes e outras esferas, tendo em conta a situação económica global que se tornou mais complicada devido à política ilegítima de sanções do Ocidente", disse o Kremlin, depois da conversa entre os dois líderes.

O registo da conversa telefónica não deixou claro porém quaisquer observações relativamente ao exercício dessa soberania em exemplos específicos, tais como a Ucrânia ou Taiwan.

“A China está disposta a manter com a Rússia o apoio mútuo em questões de soberania, segurança, bem como noutras questões de interesse fundamental e grandes preocupações”, afirmou Xi, de acordo com uma declaração citada pela Agência de Notícias da China, após uma conversa telefónica entre os dois líderes.

A última chamada entre Xi Jinping e o presidente russo foi no final de fevereiro, no dia seguinte ao início da invasão da Ucrânia pelas forças russas.

Três semanas antes do início da guerra, o presidente chinês também recebeu Vladimir Putin em Pequim, na altura da abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2022.

O governo chinês não condenou a ofensiva militar russa na Ucrânia, recusando utilizar a palavra “invasão” para descrever auto-designada “operação militar” lançada por Moscovo e atribuindo a culpa do conflito aos Estados Unidos e à NATO.

Os dois países proclamaram ainda a sua “amizade ilimitada” e assinaram uma multiplicidade de acordos, nomeadamente no domínio do gás.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados