Soldados russos que não conseguiram sair de Kherson estão a vestir-se à civil, diz a Ucrânia

CNN Portugal , BC/PF
11 nov, 14:48
Militar russo em Kherson (AP)

Sergey Khlan referiu ainda que a Ucrânia está na "fase final" de reclamação da margem direita do Dniepre. Em Moscovo, o porta-voz do Kremlin afirmou que a retirada da cidade não é humilhante para Putin e reiterou que Kherson continua a fazer parte da Rússia

Os soldados russos que não conseguiram sair de Kherson estão a tirar os uniformes e a vestir-se à civil, avança um deputado regional.

Citado pela Reuters, Sergey Khlan, membro do Conselho Regional de Kherson, garantiu que alguns soldados russos não conseguiram sair da cidade após meses de ocupação, sem adiantar, contudo, o número exato. O deputado assegurou também que as forças armadas da Ucrânia estão na fase final de reclamar para si a margem direita do rio Dniepre.

Sem mostrar qualquer tipo de prova, Khlan disse igualmente que "muitos" militares russos se afogaram durante a travessia do rio.

Também esta sexta-feira, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, negou, em declarações aos jornalistas, que a retirada de Kherson, a única capital regional que a Rússia tinha conseguido capturar durante a guerra na Ucrânia, seja humilhante para o seu governo. Peskov afirmou que Moscovo não tem qualquer arrependimento de ter anexado a região de Kherson, tendo comemorado a anexação com uma sumptuosa cerimónia no final de setembro. 

Segundo a AFP, o porta-voz de Vladimir Putin insistiu mesmo que Kherson continua a ser parte da Rússia. "Este é um assunto da Federação Russa. Não há alterações na matéria e não pode haver mudanças", sublinhou.

Will Vernon, correspondente da BBC, colocou no Twitter uma transcrição das respostas do porta-voz do presidente russo, que respondeu apenas com um "não" quando foi confrontado com a questão de esta retirada ser humilhante para Putin. 

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados