Lloyd Austin reitera que explosão na Polónia foi “muito provavelmente” causada por míssil ucraniano - mas ainda estão a "juntar informação"

16 nov, 18:40
Lloyd Austin (AP)

Afirmando ter “total confiança” na investigação das autoridades polacas, Lloyd Austin diz que, "quaisquer que sejam as conclusões finais", a culpa por este incidente pertence somente à Rússia

O Secretário de Estado da Defesa dos Estados Unidos, Lloyd Austin, reiterou esta quarta-feira as informações já veiculadas previamente pela administração do país sobre a causa da explosão de terça-feira na Polónia, que vitimou duas pessoas.

“Ainda estamos a juntar informação, mas não vimos nenhum sinal que contrariasse a análise preliminar feita pelo presidente Duda, de que esta explosão foi, muito provavelmente, causada por um míssil ucraniano de defesa antiaérea que, infelizmente, aterrou na Polónia”, explicou.

Afirmando ter “total confiança” na investigação das autoridades polacas, Austin diz que a culpa por este incidente pertence somente à Rússia.

“Quaisquer que sejam as conclusões finais, o mundo sabe que a Rússia tem a total responsabilidade por este incidente. A Rússia lançou outra bateria de mísseis contra a Ucrânia especificamente dirigida para danificar as infraestruturas civis do país. Este trágico e perturbador incidente e mais um lembrete da irresponsabilidade da guerra lançada pela Rússia. A Ucrânia tem o direito a autodefender-se. Iremos continuar solidários com o povo ucraniano enquanto defendem o seu país”.

O governante elogiou ainda a “capacidade de liderança” e a “tenacidade” dos comandantes ucranianos, de quem recebeu informações sobre as mais urgentes necessidades de defesa de Kiev, e mostrou-se satisfeito com a performance dos sistemas NASAMS enviados por Washington.

“Estou satisfeito por poder dizer que os sistemas NASAMS que enviámos para a Ucrânia estão operacionais, e que a sua performance tem sido, até agora, impressionante. Têm tido uma taxa de sucesso de 100% na interceção de mísseis russos enquanto o Kremlin continua o seu bombardeamento sem tréguas. Estamos também a procurar enviar mais equipamento crítico para reparar as infraestruturas energéticas da Ucrânia após os indefensáveis ataques russos.”

Austin aproveitou também para elogiar os aliados da NATO e a União Europeia pelo treino dado aos soldados ucranianos.

“Recebemos também outra novidade importante. Estamos confiantes que o treino fornecido pelos Estados Unidos e por outros aliados da NATO irá providenciar às forças ucranianas as capacidades que precisam para consolidar os seus ganhos e aproveitar novas oportunidades no campo de batalha. Gostaria, ainda, de realçar os importantes esforços da União Europeia nesta questão. O programa de treino da UE irá reforçar o que outros países estão a fazer a nível bilateral”, completou o responsável máximo da Defesa dos Estados Unidos.

Relacionados

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados