“Por favor, não desistam dos flancos”. O apelo público de Prigozhin e a acusação ao exército russo: “Recuaram”

18 mai 2023, 13:20
Prigozhin (Imagem AP)

Líder do grupo Wagner culpa exército russo pelo avanço ucraniano em Bakhmut

Yevgeny Prigozhin voltou a criticar a gestão moscovita no terreno de batalha na Ucrânia. Depois da falta de munições, da troca de insultos com Serguei Choigu - ministro da Defesa russo -, apelidando o Ministério da Defesa de "ministério do drama" e Putin de "avôzinho bunker", o líder do grupo Wagner culpabiliza o exército de Moscovo pelo avanço territorial ucraniano nos flancos de Bakhmut.

De acordo com Prigozhin, os soldados do exército russo bateram em retirada para a zona norte de Bakhmut, deixando parte dos seus próprios homens e elementos dos Wagner expostos nos flancos da cidade.

“Infelizmente, as unidades do ministério da Defesa da Rússia recuaram até 570 metros para o norte de Bakhmut, deixando os nossos flancos expostos", disse Prigozhin numa mensagem de voz, citada pela agência Reuters.

As alegações do grupo Wagner são ainda sustentadas pelos soldados ucranianos que relatam uma carnificina de militares russos nos flancos de Bakhmut. "O nosso avanço é tremendo", dizia um dos membros da armada de Kiev, na terça-feira, realçando, no entanto: "Há muitos corpos, demasiados”.

Prigozhin voltou a optar por um pedido público, numa tentativa de pressionar o Kremlin: "Apelo publicamente ao líder máximo do ministério da Defesa, porque as minhas cartas não têm sido lidas: por favor, não desistam dos flancos”, tal como aconteceu com as munições.

O apelo de Prigozhin surge depois da Ucrânia ter reconquistado terreno em Bakhmut, nos últimos dias. O avanço do exército de Zelensky terá sido de cerca de dois quilómetros.

Europa

Mais Europa

Mais Lidas

Patrocinados