Polónia expulsa 45 diplomatas russos por espionagem

23 mar, 11:53
Mariusz Kaminski, ministro do Interior da Polónia (AP)

Serviços de Segurança Interna da Polónia alegam que os funcionários utilizavam as funções diplomáticas como cobertura para esta atividade. Rússia prometeu retaliar

A Polónia expulsou esta quarta-feira 45 diplomatas russos do país por espionagem. A informação foi confirmada pelo ministro do Interior da Polónia, Mariusz Kaminski, e pelo embaixador russo no país, Sergei Andreev.

"Expulsámos 45 espiões que fingiam ser diplomatas", escreveu Kaminski.

"Recebi uma nota do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Polónia sobre a expulsão de 45 dos nossos funcionários por atividades que não cumprem a Convenção de Viena", afirmou, por seu turno, Sergei Andreev, citado pela Tass.

A notícia foi dada em primeira mão pelo jornal online polaco Onet, citando fontes do governo local, que avançou inicialmente que 40 diplomatas russos seriam expulsos do país por “espionagem”.

Entretanto, um porta-voz dos Serviços de Segurança Interna da Polónia, Stanislaw Zaryn, citado pela Reuters, confirmou que o órgão pediu ao Ministério dos Negócios Estrangeiros do país a expulsão não de 40, mas de 45 diplomatas russos, que alegadamente usariam estas funções como cobertura para atividades de espionagem.

A Rússia prometeu desde logo responder a esta tomada de posição. Fonte do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia, citada pela agência RIA, assegura que o país "retaliaria” caso a Polónia decidisse expulsar os diplomatas.

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados