Navio com 600 toneladas de combustível está a arder no mar Negro desde finais de fevereiro, quando foi bombardeado por militares russos

CNN Portugal , HCL
9 mar, 04:08
Navio-tanque bombardeado por militares russos pode ser "perigo tóxico" no Mar Negro

Se não for vigiada, a embarcação pode ser um risco tóxico para o Mar Negro. Navio Millennial Spirit foi bombardeado no dia 25 de fevereiro e continua a arder na costa de Odessa

Novas imagens de satélite revelam que o navio-tanque moldavo bombardeado no Mar Negro no final do mês de fevereiro ainda está em chamas, representando um potencial risco ambiental. Segundo as últimas estimativas da empresa Planet Labs PCB, que revelou as imagens, o Millennial Spirit tinha 600 toneladas de combustível quando foi alegadamente atingido por um bombardeamento russo, no dia 25 de fevereiro.

A fotografia mostra o navio ainda em chamas e a exibir uma longa coluna de fumo denso. A empresa de análise geopolítica, All Source Analysis, afirma que o navio está na costa de Odessa e existe o risco de contaminação do mar com produtos tóxicos. 

“Se não for vigiada, a embarcação pode queimar e permanecer como um perigo flutuante, ou pior, partir-se, afundar e dispersar produtos químicos tóxicos no oceano”, afirma fonte da empresa All Source Analysis num comunicado esta quarta-feira.

Nas imagens, a superestrutura do navio é vista envolta em fumo, com um incêndio no seção média do navio. “Devido ao conflito em curso e às tensões na Ucrânia, as operações de mitigação de danos provavelmente vão ser impedidas”, referiu a mesma fonte.

Depois do bombardeamento, a agência naval da Moldova informou que a tripulação do Millennial Spirit era russa e que dois funcionários ficaram gravemente feridos. A nota da agência naval da Moldova, que conduziu a operação de resgate aos tripulantes, dizia ainda que a embarcação estava em "águas neutras" no Mar Negro e que tinha sido atingida por um míssil. 

Em resposta, a embaixada da Ucrânia no Reino Unido descreveu o bombardeamento como “mais um crime da Rússia”, salientando que a navegação comercial no Mar Negro estava comprometida.

"Navios navais russos não lançam apenas ataques aéreos ou de mar que atingiram instalações portuárias em Odessa e Mariupol, mas também navios comerciais ancorados na costa da Ucrânia ou a aproximar-se de nossos portos", dizia um comunicado da embaixada na altura. 

Europa

Mais Europa

Patrocinados