Mais de um milhão de casas sem eletricidade na Ucrânia

PP
22 out, 23:46

“O agressor continua a aterrorizar o nosso país. Durante a noite, o agressor lançou um ataque massivo, com 36 tiros de roquete”, denunciou Zelensky este sábado

“Ao dia de hoje, 672.000 clientes foram desligados na região de Khmelnytstyi, 188.400 na região de Mykolaiv, 102.000 na região de Volyn, 242.00 na região de Cherkasy, 174.790 na região de Rivne, 61.913 na região de Kirovograd e 10.500 na região de Odessa”, precisou Timochenko nas redes sociais, citado pela AFP.

O operador da rede de distribuição elétrica da Ucrânia, Ukrenergo, alertou que os danos nas infraestruturas energéticas provocados pelos ataques russos de hoje podem ser mais graves que os causados pelos bombardeamentos ocorridos entre 10 e 12 de outubro.

A Ukrenergo adiantou que as tropas russas levaram hoje a cabo “outro ataque com mísseis contra instalações energéticas das principais redes elétricas das regiões ocidentais da Ucrânia”, acrescentando que “a magnitude dos danos é comparável ou pode superar as consequências dos ataques de 10 a 12 de outubro”.

Segundo a EFE, o operador elétrico ucraniano assinalou, em comunicado, que as suas equipas de reparação vão começar os trabalhos de restabelecimento de energia assim que os serviços de emergência terminem o seu trabalho.

Também através das redes sociais, o presidente ucraniano acusou hoje Moscovo de “um ataque massivo” com 36 disparos de roquetes na noite de sexta-feira para sábado.

“O agressor continua a aterrorizar o nosso país. Durante a noite, o agressor lançou um ataque massivo, com 36 tiros de roquete”, denunciou Zelensky.

Entre as zonas afetadas constam, além de Kiev, as regiões de Chernihiv, Cherkasy, Zhytomyr, Sumy, Jarkiv, Poltava, Dnipropetrovsk, Zaporíjia e Kirovohrad.

Entre 10 e 18 de outubro, 408 instalações da infraestrutura ucraniana foram objeto de ataque e destruição por parte das forças russas e um terço das centrais elétricas da Ucrânia foram danificadas.

Devido à escassez de energia elétrica em consequência dos ataques russos, a Ucrânia viu-se obrigada a introduzir cortes de luz.

As restrições no fornecimento de energia impostas pelo governo de Kiev já se fazem sentir por todo o país. Na capital ucraniana, por exemplo, há restaurantes que foram obrigados a servir as refeições à luz das velas. É a alternativa que alguns estabelecimentos encontraram após uma série de ataques contra as infraestruturas energéticas no país. Os ucranianos admitem que, apesar dos constrangimentos, reduzir o consumo de energia é uma forma de ajudar o país a vencer a guerra.

Europa

Mais Europa

Patrocinados