Kiev anuncia recolher obrigatório de 35 horas seguidas

15 mar, 10:14

Cidade tem sido bombardeada nos últimos dias, nomeadamente em zonas residenciais

A cidade de Kiev vai entrar num recolher obrigatório de 35 horas seguidas. A decisão foi anunciada pelo autarca esta terça-feira, e tem efeito a partir das 20:00 locais (18:00 em Portugal Continental), estendendo-se até às 07:00 do dia 17 de março, numa altura em que a invasão russa vai no 20.º dia.

Vitaliy Klitschko anunciou a medida através do seu canal do Telegram, onde dá conta de uma “decisão do comando militar”.

“Um confinamento foi introduzido em Kiev. Uma proibição de circulação na cidade sem passes especiais. Só podem sair para chegar a um abrigo”, afirmou o autarca, que avisou as pessoas para se prepararem para terem de passar quase dois dias em casa, sendo que, em sinal de alarme, devem procurar um abrigo.

A decisão de Vitaliy Klitschko surge numa altura em que as tropas russas continuam a apertar o cerco a Kiev, havendo relatos de várias explosões nas últimas horas, incluindo uma que afetou um prédio de nove andares na capital. As autoridades começaram por indicar que o incêndio teria resultado em dois mortos, mas mais tarde atualizaram esse número para cinco.

O ataque foi feito com recurso a uma bomba, não estando ainda confirmado que foi levado a cabo pelas forças russas. Pouco depois da explosão, os enviados especiais da CNN Portugal, Pedro Moreira e Tiago Ferreira, estiveram no local.

Ainda antes disso houve outros três edifícios que foram afetados por explosões, sendo que todos os casos foram sinalizados em zonas residenciais.

Num outro local, um prédio de 16 andares ficou com todos os apartamentos incinerados, depois de um fogo ter começado por volta das 05:00, com os bombeiros a demorarem quatro horas para controlarem a situação.

Os enviados especiais da CNN Portugal relatam que aquela é uma zona que já tinha poucos habitantes.

Europa

Mais Europa

Patrocinados