Kherson: Ucrânia alega ter eliminado 30 militares russos na região onde 600 pessoas estão em "câmaras de tortura". Moscovo condena ataque a um café

9 jun, 09:48
Militar russo em Kherson (AP)

Kiev acusa a Rússia de ter sequestrado e torturado 600 moradores da região

Trinta militares russos terão sido mortos na terça-feira na cidade de Kherson, na sequência de ataques aéreos conduzidos pelas forças ucranianas. De acordo com o Comando "Sul" das Forças Armadas da Ucrânia, aviões ucranianos conduziram ataques a "uma reunião de forças russas e numa das suas bases na região de Kherson".

Em resultado desta investida sobre áreas controladas pelos ocupantes russos, também terão sido destruídos dois veículos blindados e outros quatro veículos não especificados.

Por seu turno, os media estatais russos falam em apenas quatro feridos em resultado deste ataque, que a agência TASS garante que foi a um café e descreve como "ato terrorista".

O Comando Operacional "Sul" das Forças Armadas da Ucrânia diz também que as forças do país destruíram três depósitos russos de munições de campo, durante ataques a três povoações ocupadas pelo inimigo na região de Kherson.

Os ataques ucranianos à cidade tomada pelos russos surgem após as acusações do país de que os invasores terão sequestrado 600 moradores da região, tendo posteriormente colocado essas pessoas em “câmaras de tortura”.

Citada pelo jornal The Guardian, Tamila Tacheva, representante permanente da presidência ucraniana na Crimeia, adiantou que "cerca de 600 pessoas estão detidas em porões especialmente equipados em câmaras de tortura, na região de Kherson".

Cerca de 300 pessoas estão presas em "porões" na cidade de Kherson, enquanto as restantes 300 estão noutras zonas urbanas da região, precisou a responsável. 

"Estão detidos em condições desumanas e são vítimas de tortura", denunciou, acrescentando que os detidos são sobretudo jornalistas e ativistas que organizaram protestos pró-Ucrânia em Kherson já depois do início da invasão, a 24 de fevereiro, além de prisioneiros de guerra.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados