Jornalista francês morre em Lugansk após bombardeamento russo durante retirada de civis

Agência Lusa , FMC
30 mai, 19:17
 Frédéric Leclerc-Imhoff, jornalista francês morto na Ucrânia (Twitter)

Frédéric Leclerc-Imhoff, que trabalhava para o canal BFMTV, estava a bordo de um autocarro humanitário juntamente com civis retirados de uma zona perto de Severodonesk. Paris exige uma investigação ao sucedido

Um jornalista francês que trabalhava para o canal BFMTV e acompanhava a retirada de civis foi morto em Lugansk, no Donbass, após um ataque russo.

O presidente francês, Emmanuel Macron, confirmou a morte de Frédéric Leclerc-Imhoff e endereçou condolências, numa mensagem divulgada na rede social Twitter.

“O jornalista Frédéric Leclerc-Imhoff estava na Ucrânia para mostrar a realidade da guerra. [Estava] a bordo de um autocarro humanitário, ao lado de civis [que foram] obrigados a fugir para escapar das bombas russas, tendo sido fatalmente ferido”, escreveu o líder do Estado francês.

“Quero aqui partilhar a dor da família, entes queridos e colegas de Frédéric Léclerc-Imhoff, a quem dirijo as minhas condolências. Àqueles que garantem a difícil missão de informar envio, mais uma vez, o apoio incondicional de França”, escreveu também.

Macron adiantou ainda que Léclerc-Imhoff foi atingido no pescoço por um estilhaço do exército russo.

Considerando a morte do jornalista “profundamente chocante”, a ministra dos Negócios Estrangeiros de França, Catherine Colonna, “exigiu” uma “investigação transparente” ao caso.

"É imprescindível que seja feita uma investigação transparente o mais rapidamente possível para esclarecer as circunstâncias desta tragédia”, que atingiu o jornalista da BFMTV enquanto cobria uma operação de retirada de ucranianos perto da cidade de Severodonetsk.

O chefe da administração militar da região de Lugansk, onde se registou o ataque, Serhiy Haidai, informou, entretanto, que o jornalista foi atacado quando estava num veículo blindado que tinha recolhido dez pessoas na área para as levar para um local seguro, mas que foi alvo de fogo inimigo.

Segundo a organização Repórteres Sem Fronteiras, este é o segundo jornalista francês morto neste conflito, depois do franco-irlandês da estação norte-americana Fox News, Pierre Zakrzewski, e o oitavo repórter morto na Ucrânia desde a invasão da Rússia.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados