Imagens de satélite mostram coluna militar russa com cerca de 5 quilómetros a caminho de Kiev

CNN Portugal , HCL
28 fev, 00:55
Novas imagens de satélite mostram uma coluna militar russa com cerca de cinco quilómetros de comprimento (Maxar Technologies)

Fotografias foram reveladas por empresa norte-americana. Tanques e veículos de infantaria e artilharia foram captados em estrada a a 60 quilómetros de Kiev

Num momento em que os militares ucranianos continuam a repelir os avanços russos em Kiev, novas imagens satélite mostram uma coluna militar russa com cerca de cinco quilómetros de comprimento em direção à capital.

De acordo com a empresa norte-americana Maxar, que partilhou as imagens este domingo, a coluna foi observada por volta das 10:56 da manhã hora local (08:56 em Lisboa) na estrada P-02-02, perto da região de Ivankiv - a 60 quilómetros de Kiev.

A Maxar identificou ainda camiões de combustível e de fornecimento logístico, além de tanques, veículos de infantaria e artilharia que circulavam na coluna militar. 

As imagens foram partilhadas no mesmo dia em que o presidente da Câmara de Kiev, Vitali Klitschko, garantiu que não existem tropas russas na capital e que as forças armadas ucranianas estão a repelir todos os ataques nos arredores da cidade, avança a agência Reuters. "Os nossos militares, polícias e forças de defesa territorial continuam a detetar e neutralizar os sabotadores russos", garantiu Vitaly Klischko no seu canal de Telegram. 

A cidade de Kiev tem resistido a todas as investidas e é defendida por militares e civis armados numa batalha que decorre enquanto há negociações para haver um encontro de forma a negociar um cessar-fogo entre as partes.

Também neste domingo, a conta do Twitter do Ministério da Defesa ucraniano veio apelar à solidariedade do ocidente, pedindo – na voz do próprio Zelensky - aos estrangeiros que venham lutar para a Ucrânia.

“Quem quiser juntar-se à defesa da segurança na Europa e no mundo pode vir e estar ao lado dos ucranianos contra os invasores do século XXI”, escreveu o executivo de Kiev na rede social.

Entretanto, o presidente ucraniano veio pedir este domingo à ONU que retire à Rússia o direito de voto no Conselho de Segurança, o órgão máximo para a manutenção da paz e da segurança internacionais.

Europa

Mais Europa

Patrocinados