“É muito provável que Putin incremente o conflito com uma declaração de guerra”. O que esperar do dia 9 de maio?

7 mai, 15:44

Rússia prepara desfile de comemoração da rendição da Alemanha Nazi durante a invasão da Ucrânia. Ocidente teme agravamento do conflito

O dia 9 de maio, conhecido como Dia da Vitória, em que a Rússia comemora o triunfo da União Soviética sobre a Alemanha Nazi na II Guerra Mundial, está a ser aguardado com grande expectativa pelo Ocidente. Este sábado, a Rússia autorizou a divulgação de imagens dos ensaios da parada militar, celebração onde o coronel José Henriques afirmou ser “muito provável” que Vladimir Putin declare guerra à Ucrânia.

“É muito provável que Putin incremente o conflito com uma declaração de guerra, fazendo a respetiva mobilização”, disse o coronel à CNN Portugal, referindo que também será de esperar um "sério aviso ao Ocidente" por "alimentar a máquina de guerra ucraniana".

Por seu turno, o major-general Agostinho Costa considera que a Rússia “não tem muito para apresentar” no dia 9 de maio no que à invasão da Ucrânia diz respeito, uma vez que muitos dos objetivos no país vizinho não foram conseguidos.

“Fundamentalmente esta parada é uma exaltação, é um dia grande para a Rússia. O sr. Putin faz sempre um discurso de exaltação, de patriotismo. Mas tem pouco para apresentar”, referiu Agostinho Costa, que considera que, mesmo assim, a Rússia irá apresentar Mariupol como “troféu de guerra”.

À CNN Portugal, o professor da Universidade Lusófona Sérgio Vieira da Silva destaca ainda o relevo deste evento como forma de transmitir uma imagem de poder para o exterior.

“Estas paradas militares são típicas de regimes como o russo, o chinês, o norte-coreano, para dar uma imagem de poder não só interna, mas também externa. Estas manifestações são mais dirigidas para o exterior do que para o interior. Quando se diz que vamos ver os melhores aviões e os melhores helicópteros, é para fazer ver que a Rússia tem esses equipamentos”, sublinhou.

O dia 9 de maio é de grande simbolismo para a Rússia, dadas as perdas registadas pela União Soviética durante a guerra contra os nazis. A data assinalada é o dia da rendição da Alemanha à antiga união de repúblicas, que ocorreu um dia após à rendição às forças do Ocidente.

Em Berlim, na Alemanha, onde se comemora o fim da II Guerra Mundial a 8 de maio, foi decretada uma medida especial: nos memoriais e espaços alusivos ao conflito, as bandeiras da Ucrânia e da Rússia, bem como canções militares e cânticos que glorifiquem a guerra, foram proibidas nos dias 8 e 9 de maio.

A comissária da Polícia da capital alemã Barbara Slowik afirma que a proibição se destina a “proteger a comemoração digna em 15 memoriais e monumentos através de regulamentos abrangentes, concebidos para evitar qualquer confronto nestes locais”.

“Não aceitaremos qualquer instrumentalização da comemoração para estes fins", afirmou Slowik, citada em comunicado.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados