Putin exalta o belicismo e o imperialismo russos - sem esquecer o seu ídolo Pedro I

Agência Lusa , com DCT
12 jun, 15:20
O presidente da Rússia, Vladimir Putin (Mikhail Klimentyev, Sputnik, Kremlin Pool Photo via AP)

"Parece que Pedro I lutou contra a Suécia e tirou alguma coisa a alguém. Ele não tirou nada. Ele recuperou"

O Presidente russo destacou este domingo a importância da união do povo russo. No seu discurso naquele que é o Dia da Rússia, Vladimir Putin voltou a exaltar a figura de Pedro, o Grande, por ter criado um exército e uma marinha “poderosos e invencíveis”. Já esta semana o presidente russo se tinha comparado com o czar.

Numa cerimónia de entrega de prémios no Kremlin, Putin deu destaque à área da ciência e da cultura. Segundo a Bloomberg, entre os laureados estiveram o engenheiro do complexo de armas nucleares Yuri Bashmet e o cineasta Nikita Mikhalkov.

No seu discurso, Putin parabenizou os cidadãos pelo Dia da Rússia, descrevendo a efeméride como um feriado - alvo de controvérsia desde a sua criação, em 1992 - dedicado ao país “cheio de orgulho na sua história e fé no futuro”.

“Hoje estamos especialmente conscientes de como é importante para o país, para a nossa sociedade, que as pessoas estejam unidas”, sublinhou.

Num discurso marcado pelo patriotismo, o Presidente da Rússia disse ainda que os russos “se orgulham das conquistas e vitórias militares dos seus ancestrais, de todos aqueles que ambicionaram e souberam progredir, descobrir coisas novas, alcançar o desenvolvimento progressivo da pátria, defendê-la nas batalhas e afirmar seu papel digno no mundo”.

Putin pediu ainda aos cidadãos russos que construam os "profundos sentimentos de patriotismo" e "fundamentos espirituais" que percorrem a história do país, cita a BBC.

De novo Pedro, o Grande

Na quinta-feira, Putin tinha já elogiado Pedro, o Grande, tendo este domingo repetido o elogio feito no 350.º aniversário do nascimento do imperador que abriu “a janela para o Ocidente”, que agora se fecha devido à campanha militar russa na Ucrânia.

Pedro I foi o czar do Czarado da Rússia de 1682 até à formação do Império Russo em 1721.

“Pedro é justamente chamado de grande reformador, ele conseguiu mudanças fundamentais em quase todas as esferas da vida, principalmente no governo, no desenvolvimento económico, na criação de um exército e de uma marinha poderosos e invencíveis”, disse o Presidente.

No seu discurso, um dos escassos desde que deu ordens para iniciar a invasão à Ucrânia a 24 de fevereiro, Putin destacou que o “grande progresso também foi feito na educação, esclarecimento, saúde e cultura”. 

“Ainda há discussões sobre Pedro I e as suas reformas, mas é impossível não admitir que foi sob esse governante que a Rússia emergiu como uma grande e forte potência mundial”, frisou.

Na quinta-feira, o chefe do Kremlin disse que a Rússia precisa de “se defender e é evidente lutar”.

“Quase nada mudou. Parece que Pedro I lutou contra a Suécia e tirou alguma coisa a alguém. Ele não tirou nada. Ele recuperou”, disse Putin depois de abrir uma exposição dedicada ao imperador que governou a Rússia ao longo de 43 anos, de 1682 a 1725.

Já numa clara alusão à “operação militar especial” russa na Ucrânia, Putin afirmou: “Aparentemente, também tivemos que nos recuperar e consolidar”.

 

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados