Ataque russo a teatro de Mariupol fez 300 mortos. "Ainda não queremos acreditar neste horror"

25 mar, 09:58

O teatro foi bombardeado no dia 16 de março, mas a informação só surgiu agora devido ao colapso quase completo de serviços essenciais na cidade, incluindo redes de comunicação

A autarquia de Mariupol afirma no seu canal do Telegram que o ataque ao teatro de Mariupol, no dia 16 de março, fez 300 mortos.

"De acordo com testemunhas, estão a surgir informações de que 300 pessoas morreram no ataque ao Teatro Regional de Donetsk em Mariupol", escreveu a autarquia, citada pela CNN

O teatro de Mariupol já tinha sido atingido por um ataque aéreo russo em 16 de março, mas as informações demoraram a surgir sobre a extensão total do ataque devido ao colapso quase completo de serviços essenciais na cidade, incluindo redes de comunicação.

Destroços do teatro de Mariupol após bombardeamento russo / AP

Anunciando a atualização no seu canal Telegram, as autoridades locais disseram: “Infelizmente, começamos o dia com más notícias. Há uma informação, baseada em testemunhas oculares, de que cerca de 300 pessoas morreram no Teatro de Mariupol, como resultado de um bombardeamento de aviões russos. Ainda não queremos acreditar neste horror. Ainda queremos acreditar que todos conseguiram escapar. Mas as palavras daqueles que estavam dentro do edifício, no momento deste ato terrorista, dizem o contrário.”

No início desta semana, Petro Andriushchenko, conselheiro da autarquia de Mariupol, estimou o número de sobreviventes em cerca de 200. Mas ainda não está claro quantas pessoas estavam dentro do teatro no momento do ataque. As estimativas iniciais colocam o número entre 800 e 1.300.

Imagem de satélite da destruição no Teatro de Mariupol / AP

Imagens aéreas tiradas antes e depois do ataque mostram a palavra Дети, que significa "crianças" em russo pintada em letras grandes no chão do lado de fora da frente do teatro. “O ocupante sabia onde estava a atacar. Ele sabia quais poderiam ser as consequências e, mesmo assim, as bombas caíram neste lugar”, afirmou o comunicado das autoridades regionais publicado esta sexta-feira no Telegram.

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados