Alguns estão "em condição deplorável": pró-russos e Ucrânia trocam prisioneiros de guerra

29 jun, 18:51
Soldados ucranianos retirados de Azovstal são agora prisioneiros russos (AP Photo/Alexei Alexandrov)

43 dos soldados em causa pertencem ao Batalhão Azov

O líder da autoproclamada República Popular de Donetsk, Denis Pushilin, anunciou esta quarta-feira a primeira troca de prisioneiros de guerra com a Ucrânia. O líder pró-russo adiantou que cada lado devolveu 144 combatentes.

"Hoje voltam para casa 144 soldados da [autoproclamada] República Popular de Donetsk e da Federação Russa que foram capturados pelo inimigo. Entregámos a Kiev o mesmo número de prisioneiros ucranianos, a maioria deles feridos. Vários deles eles são de batalhões nacionalistas, a sua condição é deplorável: feridos graves, com amputação de membros e outras complicações", escreveu Pushilin no seu canal do Telegram.

Por sua vez, o Ministério da Defesa da Ucrânia, citado pela Reuters, afirma que, dos 144 combatentes ucranianos, 95 estiveram na Azovstal - 43 destes pertencem ao Batalhão Azov.

Europa

Mais Europa

Patrocinados