Abramovich reage à apreensão de jatos nos EUA. Advogados custam-lhe 1.500 euros por hora

8 jul, 21:31
Roman Abramovich (AP Photo)

Defesa lembra que o oligarca russo não tem qualquer cargo político desde de 2008 e foi parte central das negociações de paz entre Kiev e Moscovo

No dia 6 junho, os EUA emitiram um mandado para apreender jatos do oligarca russo que se encontravam no país, como revelado pelo The Wall Street Journal. Para evitar ficar privado das duas aeronaves - avaliadas em cerca de 410 milhões de dólares (cerca de 403 milhões de euros), pelo Departamento de Justiça norte-americano, Roman Abramovich contratou o escritório de advogados norte-americano Kobre & Kim, decisão que lhe está a custar 1.500 dólares (perto de 1.500 euros), segundo o jornal norte-americano Insider.

A empresa de advocacia, sediada em Nova Iorque, Kobre & Kim está a representar o multimilionário russo, algo que ficou provado com um documento entregue às autoridades norte-americanas, na terça-feira. Missiva obrigatória sob a Lei de Registro de Agentes Estrangeiros, que obriga todas as empresas de advocacia a registarem no Departamento de Justiça todos os trabalhos políticos que realizem em nome de identidades estrangeiras.

No documento, o escritório revela que a empresa foi contratada para “para providenciar aconselhamento nos processos judiciais e administrativos, incluindo as interações com agências governamentais”, acrescentando ainda que iria providenciar “aconselhamento e orientar nas relações estratégicas governamentais”.

“A Kobe & Kim tem o prazer de assistir em matérias legais importantes para assegurar que a lei é justamente aplicada”, disse um membro da empresa ao Insider, acrescentando que “o princípio especialmente importante para o nosso cliente é o seu envolvimento nas negociações de paz com os seus esforços humanitários, perante um processo justo perante qualquer questão legal ou administrativa é essencial assegurar que os seus esforços não sejam prejudicados”.

O escritório Kobe & Krim explica ainda que os seus advogados cobram 1.900 dólares por hora para trabalhos altamente especializadas, mas, através de um entendimento com Abramovich, “que atualmente esperamos que trabalhem neste processo por entre 875 dólares e 1.450 dólares por hora".

Abramovich e as ligações ao Kremlin e a Vladimir Putin

Abramovich ainda não tinha sido alvo de sanções diretas por parte dos EUA, embora já tivesse sido sancionado pela União Europeia e pelo Reino Unido. Com Bruxelas a dizer que sempre beneficiou de “acesso privilegiado e manteve relações próximas com o presidente russo” e o Reino Unido a destacar que é um “oligarca pró-Putin” que tem “um relacionamento próximo há décadas” com o Kremlin.

“O sr. Abramovich não é um oficial do governo e não teve em qualquer cargo político na Rússia durante mais de uma década, tendo terminado o seu último cargo governamental em 2008”, defende a Kobe & Kim no documento.

Desde a compra e venda da empesa energética estatal russa Sibneff, em 1995, que rendeu milhares de milhões de euros a Roman Abramovich, que o oligarca é visto como um dos homens com fortes ligações a Vladimir Putin, algo que lhe valeu sanções da União Europeia e do Reino Unido, depois de a Rússia ter invadido a Ucrânia.

Acusações que o ex-dono do Chelsea sempre negou, em variadas ocasiões, tendo mesmo assumido um papel de destaque nas negociações de paz entre Moscovo e Kiev. No entanto, o Departamento de Justiça dos EUA aponta, em documentos oficiais, que os dois jatos de Abramovich violaram controlos de exportação ao voar para a Rússia em março.

Relacionados

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados