"A Rússia não é imaculada. É o que é e não temos vergonha de mostrar quem somos", diz Lavrov

16 jun, 18:57
Sergei Lavrov, ministro dos Negócios Estrangeiros russo

Governante russo voltou a defender a invasão da Ucrânia e acusou a ONU de "amplificar as 'fake news' do Ocidente"

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergei Lavrov, confessou numa entrevista à BBC que "a Rússia não é imaculada", mas garante que os governantes russos "não têm vergonha" de mostrar quem são.

"A Rússia não é imaculada. A Rússia é o que é e não temos vergonha de mostrar quem somos", disse Sergei Lavrov.

Sobre a guerra, o governante reiterou que a Rússia "não invadiu a Ucrânia" e que apenas iniciou uma 'operação militar especial' pois "não tinha outra maneira de explicar ao Ocidente que arrastar a Ucrânia para a NATO era um ato criminoso". 

Pelo meio, acusou ainda a ONU de "ser usada para amplificar as 'fake news'" dos países ocidentais.

Numa outra entrevista, à agência russa Tass, o ministro considerou ainda "difícil de prever" o destino dos territórios controlados por Kiev dada a política do "regime neonazi ucraniano".

Sergei Lavrov abordou a questão da concessão de passaportes russos a cidadãos dos territórios invadidos, medida que considerou semelhante às promovidas pela Ucrânia junto da Polónia e da Roménia.

"Ninguém considera que isto esteja errado. Durante todos estes anos, o Ocidente tem vindo a aumentar a histeria de termos tomado a decisão de emitir passaportes russos para os cidadãos de Donbass. O Ocidente ficou histérico e não mencionou de todo que esta prática tem sido utilizada há muito tempo pela Polónia e pela Roménia", atirou Lavrov.

"Na região ucraniana de Chernovitskaya, mais de metade da população é romena. Ali estão a ser implementados programas de desenvolvimento de laços transfronteiriços, que são financiados por Bucareste. Isto é quase o mesmo que fizemos quando esperávamos a implementação dos acordos de Minsk, pois estávamos a promover laços económicos com Donbass", considerou o governante russo.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados