O poderio militar russo impressiona, mas a Ucrânia tem um trunfo: a vontade de combater. Veja a comparação de forças

CNN , Angela Dewan
26 fev 2022, 18:00
Militares ucranianos sentados no cimo de veículos blindados, numa estrada da região de Donetsk, no leste da Ucrânia, na quinta-feira. Vadim Ghirda/AP

As capacidades militares de Ucrânia e Rússia são tão desequilibradas que o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, implorou aos aliados ocidentais para fazerem mais do que impor sanções para retirar as tropas russas do território ucraniano.

Eis a comparação entre as capacidades militares dos dois países.

Despesas da Defesa

Blindados russos passam na cidade de Armyansk, no norte da Crimeia. Sergei Malgavko/TASS/Getty Images

Basta ver as quantias que as duas nações gastam com a Defesa para termos uma ideia do fosso que existe entre ambas. A Ucrânia gastou 4,7 mil milhões de dólares em 2021, pouco mais de um décimo dos 45,8 mil milhões de dólares da Rússia, que detém armas nucleares, de acordo com o relatório “The Military Balance" pelo Instituto Internacional de Estudos Estratégicos (IISS), publicado na semana passada.

Enquanto o Governo russo lançou uma iniciativa, em 2008, para modernizar as suas forças armadas, depois de uma breve guerra com a Geórgia ter demonstrado as falhas no material, as armas da Ucrânia ainda são em grande parte da era soviética. Contudo, dada a ambição de integrar a NATO, a Ucrânia reorganizou a estrutura das suas forças armadas e tenciona reequipar a Força Aérea com aviões de combate ocidentais, até meados da década de 2030. Também querem melhorar a sua capacidade naval.

Efetivos

A Rússia tem 900 mil efetivos operacionais nas suas forças armadas, e 2 milhões na reserva, enquanto a Ucrânia tem 196 mil e 900 mil reservistas. Na quarta-feira, a Ucrânia começou a recrutar reservistas entre os 18 e os 60 anos, de acordo com o IISS.

Só em forças terrestres, a Rússia tem uma dupla vantagem, com 280 mil tropas contra as 125.600 da Ucrânia. E a Força Aérea é quase cinco vezes mais forte, com 165 mil elementos contra os 35 mil da Ucrânia.

Mas em termos de tropas para esta operação específica, Yohann Michel, um analista de pesquisa que trabalhou no relatório do IISS, disse que a Rússia teria 200 mil efetivos, dentro e fora da Ucrânia.

"Isto inclui cerca de 60 grupos de combate. A situação está a evoluir rapidamente e esse número poderá mudar, mas é muito extenso e isso é importante. É um dos maiores que já vi na Europa de Leste", disse Michel à CNN.

"Os números da Ucrânia são mais difíceis de calcular, pois todos os elementos estão agora mobilizados e já chamaram os reservistas."

Armamento e viaturas

Um carro de combate da infantaria ucraniana, a montar guarda permanente nos arredores de Kiev, na terça-feira. 
DANIEL LEAL/AFP/Getty Images

Há aqui muitos elementos a comparar - aeronaves de ataque, blindados, mísseis terra-ar – mas de um modo geral, a Rússia tem mais de tudo.

A Rússia tem mais de 15.857 veículos blindados de combate, por exemplo, e a Ucrânia tem 3309.

Em termos de aeronaves, são quase dez vezes mais - 1391 contra os 128 da Ucrânia, e 821 helicópteros contra os 55 da Ucrânia, se incluirmos as aeronaves da Marinha.

E enquanto a Rússia tem 49 submarinos, a Ucrânia não tem nenhum, de acordo com o IISS.

"Há uma grande diferença entre as duas forças. A Rússia tem um domínio aéreo muito mais poderoso, as suas defesas aéreas são mais fortes", segundo Michel.

"Há uma grande diferença nos helicópteros e aviões disponíveis, a todos os níveis: desde os aviões de transporte aos aviões de combate e helicópteros de ataque."

Vontade de combater

Veículos militares ucranianos passam pela Praça da Independência, no centro de Kiev, na quinta-feira. 
DANIEL LEAL/AFP/Getty Images

No entanto, as forças ucranianas lançaram alguns contra-ataques bem-sucedidos.

Michel sublinha que a vontade de combater das tropas ucranianas tem sido o maior trunfo das Forças Armadas.

"Estou muito surpreendido com o que tenho visto. O facto de os caças ucranianos continuarem a voar, é impressionante."

Se a Rússia tomar a capital em breve, será difícil para a Ucrânia ripostar. Mas se a Rússia falhar, o conflito poderá prolongar-se. E é nesse cenário que a força de vontade da Ucrânia poderá ser uma poderosa arma, disse Michel.

Modernização

Mas com combates a decorrer por todo o país, o número e a qualidade do armamento é um fator decisivo.

Nick Reynolds, Analista de Pesquisa de Guerra Terrestre no Royal United Services Institute, disse que a Força Aérea ucraniana estava agora praticamente derrotada.

"Houve grandes problemas com a modernização, devido às dificuldades económicas da Ucrânia desde 2014. Então, as Forças Armadas não possuem uma defesa aérea e uma artilharia modernas, sobretudo radares de artilharia de contrabateria e outros equipamentos de vigilância para detetar a artilharia inimiga e ter pelo menos alguma hipótese de suprimi-la", disse Reynolds à CNN.

"Estas capacidades são críticas para que o exército da Ucrânia consiga efetuar manobras e reabastecer-se."

Europa

Mais Europa

Mais Lidas

Patrocinados