Espanha
6'
0 - 0
Itália

Navios de guerra russos conduzem exercícios anti-submarino em águas asiáticas

CNN , Josh Pennington e Mitchell McCluskey
13 abr 2023, 11:31
Vladimir Putin celebra o dia da Marinha em São Petersburgo (EPA/ANATOLY MALTSEV)

Tensão entre Vladimir Putin e Fumio Kishida aumenta

Navios de guerra da Frota do Pacífico da Rússia estão a realizar exercícios anti-submarino em águas ao largo da costa oriental do país, disse o serviço de imprensa da frota russa do Pacífico esta quinta-feira de manhã.

Os exercícios envolvem três corvetas de guerra encarregadas de localizar e destruir um falso submarino inimigo com a ajuda de helicópteros no Mar do Japão, também conhecido como Mar do Oriente.

“Antes de as corvetas saírem para o mar, a sirene foi colocada a bordo, levando as tripulações a treinar medidas de emergência para colocar os navios em estado de prontidão de combate e para a campanha [militar]”, disse o serviço de imprensa da Frota do Pacífico.

A frota também se dedicou a outros exercícios de defesa antiaérea e anti-submarino. A fase final dos exercícios envolverá “unidades de apoio à contra-sabotagem baseadas em navios, com o lançamento prático de granadas de contra-sabotagem”, declarou ainda.

Estes exercícios são pelo menos os segundos que a marinha russa realizou nas mesmas águas em menos de três semanas.

Em finais de março, navios de mísseis russos dispararam mísseis de cruzeiro contra um falso alvo no Mar do Japão, disse o Ministério da Defesa.

“Uma equipa de dois navios mísseis efetuou um ataque conjunto de mísseis contra um escudo marítimo simulando um navio de guerra inimigo”, disse o Ministério numa publicação no Telegram na altura.

“O alvo foi atingido com sucesso a uma distância de 100 quilómetros por um impacto direto de dois mísseis de cruzeiro Moskit”, acrescentou o Ministério.

As tensões entre o Japão e a Rússia têm aumentado nos últimos meses, alimentadas pelo apoio do Japão à Ucrânia após a invasão russa.

O exercício de quinta-feira chega menos de um mês após o primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, ter feito uma visita surpresa à Ucrânia. Nesse mesmo dia, dois aviões bombardeiros estratégicos russos, capazes de transportar armas nucleares, sobrevoaram as águas ao largo da costa japonesa durante mais de sete horas, naquilo que Moscovo disse ser um “voo planeado”, noticiou a Reuters.

Kishida pronunciou-se antes energicamente contra a invasão russa do seu vizinho, avisando no ano passado que “a Ucrânia hoje pode ser a Ásia Oriental amanhã”.

E, no mês passado, após ter prometido ajuda adicional à Ucrânia na véspera do primeiro aniversário da invasão, Kishida disse: “A agressão da Rússia contra a Ucrânia não é apenas um assunto europeu, mas um desafio às regras e princípios de toda a comunidade internacional”.

O Japão e a Rússia estão também envolvidos numa disputa territorial que dura há décadas.

O Japão reivindica as ilhas Kuril do sul, detidas pela Rússia, a que Tóquio chama Territórios do Norte, uma disputa que data do fim da Segunda Guerra Mundial, quando as tropas soviéticas as apreenderam ao Japão.

 

Imagem no topo: Vladimir Putin celebra o dia da Marinha em São Petersburgo, em julho de 2022. Foto de arquivo. EPA/AAnatoly Maltsve  

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados