"Inconstante" e "não está pronta". O que Putin diz sobre a Ucrânia na procura de soluções "mutuamente aceitáveis"

22 abr 2022, 14:21
Vladimir Putin discursa à nação sobre tensão com a Ucrânia (Alexei Nikolsky via AP)

Numa conversa telefónica com o presidente do Conselho Europeu, Putin avaliou a postura de Kiev no processo de negociações

O presidente da Rússia disse, esta sexta-feira, numa conversa telefónica com o presidente do Conselho Europeu, que a Ucrânia "não está pronta para procurar soluções mutuamente aceitáveis" e que está a manter uma postura "inconstante" no processo de negociações. 

"Kiev não se está a demonstrar pronta para procurar soluções mutuamente aceitáveis", diz a agência russa TASS, que cita o Kremlin.  

Nesta mesma conversa com Charles Michel, Vladimir Putin não descartou um possível encontro com Volodymyr Zelensky, mas disse que tudo depende "de resultados concretos nas negociações entre Kiev e Moscovo". 

Numa publicação no Twitter, o presidente do Conselho Europeu afirmou que "insistiu fortemente" com Putin para que fosse criado um "acesso humanitário" e uma "passagem segura" na cidade de Mariupol. Assim como reiterou a posição da União Europeia, mantendo o apoio à Ucrânia e as sanções à Rússia. 

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já matou mais de dois mil civis, segundo dados da ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior.

A ofensiva militar causou já a fuga de mais de 12 milhões de pessoas, mais de 5 milhões das quais para fora do país, de acordo com os mais recentes dados da ONU – a pior crise de refugiados na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

 

Europa

Mais Europa

Patrocinados