Milhares de restaurantes de "peixe e batatas fritas" podem fechar no Reino Unido. Eis porquê

CNN , Anna Cooban
17 mai, 11:52
Fish and chips

Ao longo do próximo ano, muitos dos milhares de estabelecimentos tradicionais britânicos podem ter de encerrar as portas.

Os restaurantes de “peixe e batatas fritas” [“fish-and-chips”] do Reino Unido estão sob forte pressão, à medida que os preços dos principais ingredientes – incluindo bacalhau e óleo de cozinha – disparam em resultado do ataque russo à Ucrânia.

Cerca de um terço dos cerca de dez mil restaurantes de peixe e batatas fritas do país podem fechar nos próximos nove meses, diz Andrew Crook, presidente da Federação Nacional de Frituras de Peixe. É a pior crise que ele já viu, segundo diz à CNN.

A associação comercial representa 1.200 empresas de peixe e batatas fritas, e existe há mais de um século.

Crook, dono da sua própria loja, disse que os preços começaram a subir no final do ano passado, mas os custos dos ingredientes básicos dispararam desde o final de fevereiro, quando a Rússia invadiu a Ucrânia.

"Em geral, subiu tudo", diz Crook.

Empresas de todos os setores estão a lutar com os preços em alta, à medida que os problemas da cadeia de logística se exacerbaram com a guerra na Ucrânia. Mas as lojas britânicas de peixe e batatas fritas, que tradicionalmente trabalham com margens de negócio muito estreitas, estão a sentir um especial aperto devido à dependência do setor das importações russas.

Até 40% do bacalhau e arenque da indústria vêm de águas russas, e cerca de metade do seu óleo de girassol é importado da Ucrânia, explica Crook.

As empresas estão a pagar mais cerca de 83% pelo óleo de girassol em relação ao início de março, segundo Crook. O óleo de palma, uma alternativa comum, duplicou de preço. A Indonésia – o maior exportador mundial de óleo de palma – começou a restringir as exportações no mês passado, para manter o abastecimento doméstico.

A somar a isto estão as contas de energia de trazer lágrimas aos olhos e os preços dos fertilizantes necessários para o cultivo de batatas.

“Fish and chips” é um dos pratos nacionais não oficiais do Reino Unido. As primeiras lojas abriram na década de 1860 e espalharam-se rapidamente à medida que o país se industrializou, ajudando a alimentar os trabalhadores das fábricas, segundo explica a associação comercial. Durante a Segunda Guerra Mundial, como o governo racionou outros alimentos básicos - como chá, manteiga, carne – mas o peixe com batatas fritas foi isento, tão importante era o prato para as classes trabalhadoras.

Os clientes esperam que o seu peixe com batatas fritas seja barato, diz Crook. Há um ano, o preço médio de um bacalhau comum com batatas fritas seria de cerca de 7 libras (8,32 euros ao câmbio atual), disse Crook. Agora, ele estima que seja em torno das 8,5 libras (10,11 euros)– um aumento de 21%.

"Estamos a correr o risco de nos sairmos do mercado por causa dos preços... estamos a tentar manter os aumentos o mais baixo possível", disse Crook. Alguns já viraram costas. "Perdi alguns clientes regulares que costumavam vir todas as sextas-feiras", acrescentou.

O receio de que o governo do Reino Unido imponha duras tarifas de importação sobre o peixe branco russo levou as empresas a armazenar alternativas, aumentando ainda mais o preço do peixe islandês e norueguês que Crook compra.

O preço de uma caixa de bacalhau islandês agora é de 270 libras (321 euros), acima das 140 libras (166 euros) do ano passado, disse Crook.

Empresas como a de Crook enfrentam a tarefa árdua de vender peixe e batatas fritas para clientes que enfrentam a pior crise do custo de vida em décadas. A inflação anual dos preços ao consumidor atingiu 7% em março, o nível mais alto em 30 anos, e pode chegar a 10% no final deste ano, segundo o Banco da Inglaterra.

Mais de meio milhão de pequenas empresas no Reino Unido – cerca de uma em cada 10 – planeiam fechar, reduzir ou vender no próximo ano, pois muitas lutam para garantir financiamento, de acordo com uma pesquisa da Federação de Pequenas Empresas.

Para Crook, o destino da sua loja é pessoal. "É mais do que apenas um trabalho. Para muitos de nós, são negócios familiares", disse. "Eu sou a segunda geração no negócio - e ninguém quer o negócio falhe quando é a sua vez."

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados