Costa visita tropas portuguesas na Roménia e campo de refugiados na Polónia

Agência Lusa
13 mai, 19:34
António Costa (Lusa/José Sena Goulão)

A visita à Roménia decorre entre quarta e quinta-feira e depois deslocar-se para a Polónia. Estas deslocações servem também para aprofundar as relações bilaterais entre Portugal e estes dois países

O primeiro-ministro, António Costa, vai visitar o contingente português em missão na Roménia no âmbito da NATO, entre quarta e quinta-feira, deslocando-se depois a um centro de acolhimento de refugiados ucranianos na Polónia.

"Nesta deslocação à Roménia e à Polónia, o primeiro-ministro terá ainda oportunidade de promover o aprofundamento de relações bilaterais, bem como a discussão de temas da agenda europeia, nos contactos com os líderes de ambos os países", refere-se no comunicado divulgado esta sexta-feira pelo gabinete de António Costa.

No programa de deslocações do líder do executivo português, além das vertentes militar e humanitária relacionadas com o acolhimento de refugiados, "existirá também uma componente empresarial".

A 15 de abril, o chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, presidiu no aeroporto de Figo Maduro, em Lisboa, à cerimónia de partida dos 222 militares portugueses da força nacional que participa na missão de dissuasão e de defesa da NATO.

Uma cerimónia que contou com a presença da ministra da Defesa, Helena Carreiras, do chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, almirante António Silva Ribeiro, e dos chefes do Estado-Maior do Exército, Armada e Força Aérea.

Nesse mesmo dia, António Costa gravou um vídeo em que disse estar "absolutamente certo de que mais uma vez" estes militares vão "prestigiar as Forças Armadas e o país" e lembrou que pouco tempo antes estivera em Santa Margarida a assistir a um exercício deste contingente no quadro do processo de preparação para a missão.

Após esta visita às tropas portuguesas, o líder do executivo português parte na quinta-feira para a Polónia, onde permanece até sexta-feira - uma deslocação que tem como principal preocupação a vertente humanitária em consequência da intervenção militar russa na Ucrânia.

"Desde a primeira hora, Portugal tem participado na onda de solidariedade à escala global para com o povo ucraniano, não apenas no fornecimento de apoio material, humanitário e militar, mas também no acolhimento de refugiados ucranianos e no quadro de sanções que estão a ser impostas ao regime russo. A visita ao centro de acolhimento de refugiados permitirá valorizar o esforço de um dos países que está na linha da frente e que mais refugiados tem recebido", sustenta-se no comunicado do executivo.

Em relação ao programa provisório destas deslocações à Roménia e Polónia, António Costa chega a Bucareste na quarta-feira, pelas 19:00 locais, tendo depois um jantar de trabalho oferecido pelo primeiro-ministro da Roménia, general Nicolae Ciuca.

Na quinta-feira, pela manhã, participa numa reunião plenária com o Governo romeno, no final da qual será assinado um acordo bilateral de cooperação na área da Defesa.

Nessa manhã, o líder do executivo português terá ainda encontros com o Presidente da República da Roménia, Klaus Iohannis, e com o líder da Câmara dos Deputados, Marcel Ciolacu, chegando ao início da tarde à Base Militar de Caracal. Uma visita em que, no início, estará acompanhado pelo Presidente da República e pelo primeiro-ministro da Roménia.

Antes de partir para Varsóvia, António Costa participa num almoço tardio com os militares da missão portuguesa.

Pouco depois de chegar a Varsóvia, na quinta-feira à noite, o primeiro-ministro vai estar presente num jantar com empresários portugueses.

Já na sexta-feira, o ponto inicial do programa será um encontro com o primeiro-ministro da Polónia, Mateusz Morawiecki, havendo, no final, declarações conjuntas à imprensa.

Para as 11:30, está prevista a chegada de António Costa ao Estádio Nacional de Varsóvia, onde está instalado um centro de acolhimento de refugiados.

Relacionados

Novo Governo

Mais Novo Governo

Patrocinados