Israel primeiro confirmou mas depois disse que não pode confirmar, Biden disse que viu imagens mas depois a Casa Branca disse que ele não viu nada: houve mesmo bebés decapitados pelo Hamas em Kfar Aza?

12 out 2023, 11:39

A polémica em torno da alegada decapitação de bebés por terroristas do Hamas no kibutz de Kfar Aza, em Israel, está a gerar grande confusão junto de fontes oficiais e também sobre a perceção dos factos - factos?

A informação foi inicialmente avançada terça-feira por uma correspondente da televisão israelita i24, Nicole Zedeck, que disse em direto que soldados das Forças de Defesa de Israel (IDF) confirmaram a existência de 40 cadáveres de bebés neste kibutz, alguns deles decapitados.

A repórter francesa Margot Haddad, do canal francês LCI, foi mais além e alegou, numa publicação no X, ter em sua posse fotografias e vídeos dos corpos dos bebés decapitados.

“Quanto aos vídeos de decapitações e às fotografias de corpos de bebés em Kfar Aza, tenho-os na minha posse e digo-o uma última vez: Não. Nunca. Nunca. Nunca divulgarei estas imagens”, escreveu a jornalista.

Ao correspondente da CNN Internacional Nic Robertson, o major-general Itai Veruv também confirmou os relatos. "Nunca vi nada como isto na minha carreira, nunca em 40 anos de serviço, isto é algo que nunca imaginei”, disse.

O governo de Benjamin Netanyahu confirmou igualmente à CNN Internacional a veracidade da notícia, mas a informação foi posteriormente desmentida por fontes oficiais da IDF ao mesmo canal, já esta quinta-feira.

"Houve casos de militantes do Hamas que levaram a cabo decapitações e outras atrocidades ao estilo do ISIS. No entanto, não podemos confirmar se as vítimas eram homens ou mulheres, soldados ou civis, adultos ou crianças", pode ler-se na resposta dada ao jornalista Matthew Chance.

Também esta quinta-feira, o tenente-coronel Richard Hecht, porta-voz da IDF, afirmou que não conseguia negar ou confirmar se, de facto, o Hamas decapitou crianças naquele kibutz. "Quero acreditar que, se o nosso reservista de 45 anos disse a um jornalista o que viu, não estava a cuspir a mensagem das IDF. Não sei, não posso negar”, afirmou, citado pela Sky News.

O canal britânico, através do seu correspondente Stuart Ramsay, avança ainda ter entrevistado outros dois majores-generais no local, que não deram qualquer indicação sobre a existência de crianças decapitadas em Kfar Aza.

A confusão comunicacional da IDF ficou ainda mais evidente quando, enquanto Richard Hecht não conseguia confirmar a informação, um outro porta-voz da organização, Jonathan Conricus, afirmou que as decapitações tinham de facto ocorrido.

"Admito que demorámos algum tempo a compreender e a verificar esses relatos, e era difícil acreditar que até o Hamas pudesse realizar um ato tão bárbaro. Agora podemos dizer, com relativa confiança, que foi isso que o Hamas fez. Havia corpos espalhados por todo o lado, mutilados."

Joe Biden disse que viu fotografias dos bebés decapitados. No entanto, não viu

Outro episódio profundamente confuso sobre este assunto ocorreu quarta-feira. Num discurso perante líderes da comunidade judaica nos Estados Unidos, o presidente Joe Biden afirmou taxativamente que viu fotografias dos bebés decapitados.

"Nunca pensei que iria ver e ter imagens confirmadas de terroristas a decapitar crianças", disse Biden perante as câmaras.

Mais tarde, no entanto, a Casa Branca veio “clarificar” as declarações do seu líder. Duas fontes da administração norte-americana afirmaram à NBC News que Joe Biden estava a referir-se aos relatos oriundos de Israel, à versão do governo israelita e aos vários artigos noticiosos publicados por órgãos de comunicação social. A Casa Branca também confirmou ao Washington Post que o presidente americano não viu qualquer fotografia de bebés decapitados.

Relacionados

Médio Oriente

Mais Médio Oriente

Mais Lidas

Patrocinados