Rússia prometeu abrandar, mas Ucrânia foi bombardeada várias vezes na última noite: todos os ataques

30 mar, 09:24

Forças ucranianas depararam-se ainda com muitas minas espalhadas em Irpin, subúrbio da capital, com as autoridades a pedirem à população para não regressar a casa antes do "anúncio oficial"

No dia a seguir ao encontro de Istambul e apesar da promessa russa de reduzir os ataques em Kiev e Chernihiv, um porta-voz ucraniano do ministério do Interior disse esta quarta-feira que "não houve uma região sem sirenes a tocar" na última noite, tendo sido registados vários bombardeamentos e combates.

"Houve alarmes aéreos em todo o país durante a noite. Na verdade, não houve áreas sem sirenes. De manhã a situação repetiu-se. Em particular no Donbass - Kramatorsk e Bakhmut, na cidade e na região de Kiev... Houve bombardeamentos em Chernihiv. Houve bombardeamentos em Khmelnitskyi. Em Kiev, vários rockets foram abatidos sobre a capital", descreveu Vadym Denysenko.

A situação nas cidades cercadas de Chernihiv e Mariupol foi também descrita como "difícil" e há registo de combates durante a noite em Irpin, arredores de Kiev.

Em Irpin, segundo Vadym Denysenko, as forças ucranianas depararam-se com muitas minas espalhadas e inclusive corpos armadilhados, apelando ainda à população para que não tente regressar a casa após o anúncio de Moscovo de "redução radical" dos ataques a Kiev e para esperar "pelo anúncio oficial".

"Por isso não se pode dizer que, até ao momento, os russos tenham reduzido a intensidade das hostilidades em Kiev e Chernihiv. Podemos dizer sim que, de facto, certas unidades e equipamentos estão a mover-se para o território da Bielorrússia, mas parece mais uma operação de rotação e recuperação do que uma verdadeira cessação das hostilidades", defendeu.

Já a noite no centro da capital foi "relativamente tranquila", apesar de terem sido ouvidos bombardeamentos fora da cidade. Os enviados-especiais da CNN Portugal a Kiev, Pedro Mourinho e Nuno Quá, testemunharam o toque das sirenes de alerta de ataque aéreo pelo menos seis vezes entre as 23:00 e as 08:30 locais, tendo ouvido também vários estrondos distantes.

Em Chernihiv, o governador disse que houve bombardeamentos durante toda a noite. "Acreditam na promessa? Claro que não. A atividade militar reduzida na região de Chernihiv foi demonstrada pelo inimigo, que realizou ataques na cidade de Nizhyn, incluindo ataques aéreos, e toda a noite atingiram a cidade de Chernihiv", disse Viacheslav Chaus, no seu canal no serviço de mensagens Telegram.

Na região ocidental da Ucrânia, as tropas russas realizaram três ataques noturnos a uma zona industrial de Khmelnitskyi, disse o governador Serhiy Hamaliy. O responsável não precisou que unidades foram atingidas. Também ainda não há informação sobre baixas, mas estão a decorrer buscas por sobreviventes.

Na região de Lugansk, um gasoduto de alta pressão foi atingido durante a noite, disse o chefe da administração militar da região, Sergii Haidai, ataque russo que deixou sem abastecimento 35 mil pessoas nas localidades de Lisichansk, Privillya, Novodruzhesk, Bilohorivka, Zolotarivka e Shipylivka. As tropas russas lançaram ainda ataques aéreos nas zonas de Voevodovka, Rubizhne, Lisichansk, Kreminna, Zolote e Popasna. Em Severodonetsk e várias localidades próximas registaram-se, esta manhã, fortes bombardeamentos.

Na região de Donetsk, as tropas russas bombardearam quase todas as cidades controladas pelas forças ucranianas, disse o governador regional Pavlo Kyrylenko.

Acompanhe a Guerra na Ucrânia AO MINUTO em CNN Portugal.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados