Carregada por três polícias e depois escoltada para uma carrinha: Greta Thunberg detida, as imagens e a história

CNN Portugal , MJC
17 jan, 17:41

A ativista sueca juntou-se ao grupo de jovens que protestava contra a demolição de uma vila para abrir caminho à expansão de uma mina de carvão

Greta Thunberg foi detida esta terça-feira, juntamente com outros ativistas climáticos, durante protestos contra a demolição da vila de Luetzerath, na Alemanha. A manifestação decorre há vários dias na mina a céu aberto de Garzweiler, a cerca de nove quilómetros de Luetzerath, a vila que está prestes a ser demolida para abrir caminho à expansão da mina. Os manifestastes tecem duras críticas ao governo alemão por investir num combustível fóssil como o carvão em 2023.

A polícia já tinha intervindo no domingo para expulsar os manifestantes no local mas os jovens voltaram à mina e sentaram-se no chão. Greta Thunberg, um dos rostos mais visíveis da luta contra as alterações climáticas, tinha visitado a localidade e a mina de carvão na sexta-feira, num ato de apoio à causa dos manifestantes, que encaram a iminente demolição da vila como um retrocesso nos esforços climáticos da Alemanha.

Os ativistas ocuparam edifícios, estruturas em árvores, construções de madeira e até um túnel subterrâneo. Houve um ativista do grupo que saltou para dentro da mina, mas ainda não há informações sobre se ficou ferido.

"Greta Thunberg fazia parte de um grupo de ativistas que correram para a borda da mina. Ela foi carregada, tal como os outros, para fora da área de perigo imediato para se verificar a sua identidade", disse um porta-voz da polícia de Aachen à Reuters. 

As imagens divulgadas mostram a jovem a ser carregada por três polícias e depois a ser escoltada para uma carrinha da polícia. O grupo encontra-se agora siob custódia policial.

Relacionados

Europa

Mais Europa

Mais Lidas

Patrocinados