Grávida sem vaga para bebé em Santa Maria sofre paragem cardíaca ao ser transferida e morre

29 ago, 19:59
Hospital Santa Maria

Mulher estava grávida de 31 semanas e foi forçada a mudar de hospital de urgência porque não havia vaga no serviço de neonatologia para internar o bebé quando fosse provocado o parto

Uma mulher de 34 anos, grávida de 31 semanas, morreu no último sábado, em Lisboa, depois de ter sofrido uma paragem cardiorrespiratória de 17 minutos durante a transferência de ambulância de Santa Maria para São Francisco Xavier, forçada porque o primeiro hospital, considerado a maior unidade do país, não tinha vaga no Serviço de Neonatologia para internar o bebé quando fosse provocado o parto – uma medida que era necessário tomar com urgência para salvar a vida da mãe. 

A TVI, do mesmo grupo da CNN Portugal, teve acesso ao relatório clínico, que revela que a mulher recorreu às urgências do Santa Maria no dia 22, cinco dias antes de morrer. Não tinha antecedentes de doença, nem tomava medicação. Mas apresentava um quadro de hipertensão arterial já com 6 dias e dispneia. Foi diagnosticada em Santa Maria com pré-eclampsia grave e restrições de crescimento uterino. Era urgente provocar o parto, mas não havia vaga naquele hospital no Serviço de Neonatologia, onde o bebé teria de ser internado mal nascesse, e como tal foi decidido transferir a grávida para o São Francisco Xavier. 

Pelo caminho, de ambulância, sofreu uma paragem cardiorrespiratória em ritmo de assistolia que durou 17 minutos, que, apesar do recurso ao suporte avançado de vida, acabou por se revelar fatal. À chegada ao São Francisco Xavier a vítima entrou em coma profundo – situação que se manteve até ter sido detetada a morte cerebral e o óbito ter sido declarado ao final da tarde de sábado, dia 27.

Quanto ao bebé, foi salvo graças a um parto de cesariana feito de urgência.

O Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte (CHULN) adiantou, entretanto, num comunicado enviado às redações, que a mulher deu entrada Hospital de Santa Maria, "por volta das 2h00 da manhã. Tratava-se de uma grávida de nacionalidade indiana, residente na Índia e recém-chegada a Portugal, sem dados de vigilância da gravidez". A mulher recorreu ao serviço de urgência por "dificuldade respiratória e tensões arteriais altas".

"Após normalização das tensões arteriais e franca melhoria respiratória, foi transferida cerca das 13h00 do mesmo dia para o Hospital São Francisco Xavier, por ausência circunstancial de vagas de Neonatologia no CHULN, acompanhada por um médico e enfermeiros", pode ler-se na nota.

Durante a transferência, detalha o hospital, a paciente sofreu uma "paragem cardiorrespiratória" e foi efetuada a "reanimação no transporte". Na chegada ao Hospital S. Francisco Xavier, a grávida "foi submetida a uma cesariana urgente".

O bebé nasceu com 772 gramas, sendo encaminhado para "unidade de cuidados intensivos neonatais por prematuridade". Já a mãe "ficou internada nos cuidados intensivos, vindo a falecer. Falecimento que o CHULN lamenta, endereçando à família as mais sentidas condolências".

Relacionados

Saúde

Mais Saúde

Patrocinados