Detido homem que agredia, intimidava e proibia a mulher de trabalhar

Agência Lusa , JGR
30 dez 2021, 17:51
GNR
GNR

O suspeito começou a seguir a mulher após o final da relação, em novembro de 2021, ameaçando-a de morte

PUB

Um homem foi detido pela GNR suspeito da prática do crime de violência doméstica agravado sobre a ex-mulher no concelho de Pombal, aguardando julgamento em prisão preventiva, anunciou esta quinta-feira a Procuradoria da República da Comarca de Leiria.

“Existem fortes indícios de que o arguido molestou sexual, verbal e psicologicamente a vítima, durante o casamento de ambos e na residência comum. Nesse contexto, o arguido insultava a vítima, exigia-lhe e forçava-a a ter relações sexuais com ele contra a sua vontade, não permitia que a mesma trabalhasse, rasgava-lhe a roupa que entendia não ser apropriada, intimidava-a e manipulava-a”, refere a Procuradoria no seu site.

PUB

Segundo a mesma fonte, o arguido, de 50 anos, “ameaçou mesmo matar-se a ele próprio com uma arma de fogo que chegou a empunhar”.

“A partir de novembro de 2021, quando já estavam divorciados e depois de a vítima ter iniciado uma relação amorosa com outra pessoa, o arguido, que nunca aceitou o fim do relacionamento, passou a segui-la, regular e sistematicamente, no concelho de Pombal, deixando-a em permanente estado de intranquilidade. E dirigiu-lhe, também, por intermédio das filhas de ambos, ameaças de morte”, adianta.

PUB
PUB
PUB

A Procuradoria da República da Comarca de Leiria acrescenta que o homem, detido na quarta-feira, “já foi condenado pela prática de vários crimes, designadamente pelos crimes de roubo e de coação sexual na forma tentada, em pena de prisão suspensa na sua execução, tendo, igualmente, beneficiado do instituto da suspensão provisória do processo pelo crime de violência doméstica”.

Em consonância com o promovido pelo Ministério Público, o juiz de instrução criminal determinou que “o arguido aguardasse os ulteriores termos do processo sujeito à medida de coação de prisão preventiva”.

A investigação é dirigida pelo Ministério Público da Unidade Local de Pombal do Departamento de Investigação e Ação Penal da Comarca de Leiria, com a coadjuvação do Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas do Comando Territorial de Leiria da GNR.

Relacionados

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados