Ricardo Soares: «Se na Liga não há qualidade, então o que é isto?»

André Cruz , Estádio Cidade de Barcelos
10 jan, 23:18
Gil Vicente-V Guimarães

Gil Vicente-V. Guimarães, 3-2 (reportagem)

Declarações do treinador do Gil Vicente, Ricardo Soares, na sala de imprensa do Estádio Cidade de Barcelos, após a vitória frente ao V. Guimarães (3-2):

«[Orgulho no crescimento da equipa] O orgulho é da dimensão da capacidade dos meus jogadores. É um orgulho enorme trabalhar com estes rapazes. Entramos muito bem, sabíamos que era um Vitória ferido a querer voltar às vitórias. Poderíamos e deveríamos ter feito muitos mais golos. Foi um grande jogo de futebol, principalmente da minha equipa. Resultado enganador, já era injusto na primeira parte. O Vitória foi extremamente eficaz, ao contrário de nós, devíamos ter feito cinco seis [golos], sem exagero.

[Houve deslumbramento nos minutos em que sofreu os golos?] Não. Não houve deslumbramento, é futebol. Esta equipa ainda precisa de crescer aqui ou ali, tem tido um crescimento muito grande, cada vez percebe mais os momentos de jogo, mas nesse momento não fomos tão fortes. Apoiados por uma massa adepta que não para de apoiar mais a qualidade individual relançam o jogo. Os campeões também sofrem.

[Analisar o V. Guimarães sem ponta de lança] Foi mais difícil desmontar o Vitória a partir do momento em que o Estupiñán e o Bruno Duarte têm covid-19. Podiam chegar aqui de forma diferente e chegaram. O objetivo era taparem a nossa primeira fase de construção, com a nossa equipa exposta, mas estamos preparados para isso e desmontámos com eficácia o posicionamento e a pressão de fora para dentro do Vitória. A minha equipa é uma equipa de posse, estável com bola e, depois de entrar no último terço, temos jogadores com capacidade de criar situações de finalização. Devíamos valorizar quem joga desta maneira, é um jogo para se ver e rever. Às vezes falamos que na Liga portuguesa não há qualidade, então o que é isto? Devíamos dar mérito a estes jogadores, fizeram um jogo de uma beleza incrível.

[Sente que espremeu ao máximo a equipa?] Não. Esta equipa cresceu muito rápido porque tinha talento, que não estava a por cá fora, mas fruto do foco deles estão a colocá-lo agora. A mim, agrada-me muito. A minha função é que extraiam ao máximo o seu potencial. É uma felicidade tremenda ver jogadores com esta qualidade. São humildes, ouvem, acatam e tentam melhorar. Temos margem para crescer, com jogadores jovens, uma equipa que sofreu uma remodelação, já que os habituais titulares saíram. Mentiria se não dissesse que estava surpreendido com a evolução deles, mas se pensam que só podem dar isto não estão no caminho certo. Esforço sem qualidade não vale de nada.

[Objetivos além da manutenção] O quinto lugar é merecido, a partir daqui temos de nos focar no próximo jogo. Precisamos de 35/36 pontos, falta muito para atingirmos a manutenção. Vamos dia a dia e a ver cada treino como uma oportunidade para crescermos. Queremos um futebol agradável, que as pessoas venham ao jogo. Mas não vamos ganhar sempre.

[Navarro é o terceiro melhor marcador da Liga] Tem um significado grande, não pelos números, mas pela alegria de um jogador que é jovem, chegou com algum défice de confiança fruto dos últimos anos, mas tem uma capacidade de trabalho e predisposição para aprender gigante. É um jogador muito importante para nós, um líder dentro de campo. Tem 11 golos e nenhum penálti. É motivo de orgulho para o clube, todos o adoram pela sua personalidade e pelo trabalho fantástico que tem desenvolvido.»

Relacionados

Patrocinados