Ghislaine Maxwell considerada culpada de ajudar o abusador sexual Jeffrey Epstein

CNN Portugal , MJC
29 dez 2021, 22:19
Braço direito de Epstein detida nos EUA
Braço direito de Epstein detida nos EUA

O tribunal considerou que Ghislaine Maxwell desempenhava um papel fundamental na angariação e preparação de jovens que depois eram abusadas pelo amigo Jeffrey Epstein

PUB

A socialite britânica Ghislaine Maxwell foi esta quarta-feira considerada culpada por um júri dos EUA por ajudar o financeiro Jeffrey Epstein a abusar sexualmente de adolescentes.

O tribunal considerou que Ghislaine Maxwell desempenhava um papel fundamental na angariação e preparação de jovens que depois eram abusadas pelo amigo Jeffrey Epstein.

PUB

Um júri de seis homens e seis mulheres chegou esta quarta-feira a um veredicto no julgamento de tráfico sexual, na cidade de Nova Iorque, depois de seis dias a deliberar.

A britânica Ghislaine Mawell, que completou 60 anos no dia de natal, está presa desde julho de 2020. A filha do magnata Robert Maxwell, outrora uma presença constante na alta sociedade de Nova Iorque, enfrentava seis acusações federais que, juntas, acarretavam uma sentença máxima de 70 anos: tráfico sexual de menores, induzir uma menor a viajar para se envolver em atos sexuais ilegais, transportar uma menor com a intenção de a envolver em atividade sexual criminosa e três acusações relacionadas de conspiração.

PUB
PUB
PUB

Uma vez que foi absolvida da acusação de induzir uma menor a viajar para se envolver em atos sexuais ilegais, a pena máxima poderá ir até aos 65 anos. O juiz não anunciou em que data será decidida a sentença.

O julgamento começou a 29 de novembro. O júri avaliou as evidências e os depoimentos de cerca de 30 testemunhas ao longo de três semanas, que alegaram que Maxwell desempenhou um papel fundamental no recrutamento e preparação de adolescentes para serem abusadas sexualmente pelo seu amigo (com quem manteve uma relação amorosa no início dos anos 90), o rico financeiro norte-americano Jeffrey Epstein.

Quatro mulheres testemunharam durante o julgamento que Epstein abusou delas e que Maxwell facilitou o abuso e às vezes também participou dele.

Epstein começou a ser investigado em 2005, depois de os pais de uma rapariga terem apresentado queixa alegando que ele tinha abusado da sua filha, então com 14 anos. Declarou-se culpado e, apesar de terem surgido outras queixas, chegou a acordo para cumprir uma pena breve. Foi preso novamente a 6 de julho de 2019, sob acusações federais de tráfico sexual de menores na Flórida e Nova Iorque. Foi encontrado morto na sua cela no dia 10 de julho, enquanto aguardava julgamento.

PUB
PUB
PUB

Ghislaine terá ajudado Jeffrey Epstein entre 1994 e 2004.

Nas alegações finais, a procuradora Alison Moe definiu Maxwell como sendo “essencial para toda a operação” do milionário, procurando as raparigas e aliciando-as. “É claro como água que Maxwell tinha conhecimento e estava profundamente envolvida no abuso sexual de menores de Epstein”, disse. 

Donald Trump, Bill Clinton e o Príncipe Andrew são alguns dos homens influentes que tinham ligações com o financeiro. O príncipe chegou, inclusivamente, a ser acusado de abusos sexuais por uma das raparigas que conheceu em casa de Epstein e que na altura teria 14 anos. Em novembro de 2019, o filho da rainha Isabel II anunciou que se iria afastar dos deveres reais devido às repercussões de sua amizade com Jeffrey Epstein.

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados