Will Smith proibido de ir aos Óscares durante dez anos

8 abr, 20:01

Ator não fica proibido de ser indicado ou mesmo ganhar prémios durante este período. Também o óscar de melhor ator não lhe será retirado

O ator Will Smith está proibido de ir à cerimónia dos Óscares durante dez anos. 

A informação está a ser avançada pela direção da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, que organiza a cerimónia e votou para que Smith fosse banido de todos os eventos da Academia, incluindo os Óscares, durante um período de dez anos a partir do dia de hoje, 8 de abril. Esta medida inclui também eventuais eventos que não sejam presenciais.

conselho da Academia, composto por mais de 9 mil membros do cinema, tem o poder de decidir a suspensão ou expulsão de um membro da Academia sempre que seja violado o código de conduta e, por isso, marcou uma reunião para o dia 18 de abril para discutir o futuro de Will Smith. No entanto, o presidente David Rubin decidiu adiantar a reunião para a manhã desta sexta-feira por forma a responder "em tempo útil" ao comportamento agressivo de Smith, que esbofeteou Chris Rock durante a 94ª transmissão da Cerimónia dos Óscares e também por forma a responder ao pedido de demissão da Academia, que Smith apresentou a 2 de abril.

“A 94ª edição dos Óscares deveria ser uma celebração do trabalho incrível feito durante o ano passado. No entanto, esta cerimónia foi ofuscada pelo comportamento inaceitável e prejudicial que todos vimos Will Smith exibir em palco", lê-se no comunicado da Academia.

A Academia lamentou ainda não ter punido, no momento da agressão, o ator. "Esta foi uma oportunidade para darmos um exemplo aos convidados, espectadores e membros da Academia de todo o mundo, e ficámos aquém. Falhámos", continua a nota.

"As sanções que aplicamos hoje em resposta ao comportamento de Will Smith é um passo em direção a um objetivo maior que é o de proteger a segurança de todos os artistas e convidados, por forma a que seja restabelecida a confiança na Academia. Esperamos que possa ser o início de um tempo de cura para todos os envolvidos e que não ficaram indiferentes ao sucedido", continua o comunicado, que dá ainda conta de uma "profunda gratidão" a Chris Rock que, mesmo perante a agressão, manteve sempre a postura e o sorriso.

Após o pedido de demissão de Smith a 2 de abril, também aceite pela Academia, a organização não tinha muito mais a fazer para punir o ator. 

Apesar de não poder estar presente em futuros eventos, é importante lembrar que o ator não fica proibido de ser indicado ou mesmo ganhar prémios durante esse período. Também o óscar de melhor ator entregue a Smith não lhe será retirado, explicou a Academia, lembrando casos como o de Harvey Weinstein e o diretor Roman Polansk, condenados e expulsos da Academia e a quem nunca foram retirados os prémios.

Recorde-se que esta medida surge após Will Smith ter agredido Chris Rock, na sequência do apresentador ter dito uma piada sobre a mulher de Smith, Jada Pinkett Smith. 

Pinkett Smith falou publicamente sobre a perda de cabelo devido à alopecia. Na mesma noite, Smith ganhou o prémio de melhor ator. No dia seguinte, pediu publicamente desculpas a Rock através de uma publicação no Instagram.

Relacionados

Artes

Mais Artes

Patrocinados