União Europeia vai suspender acordo com a Rússia que facilita a concessão de vistos

31 ago, 14:41

Ministro húngaro garante, contudo, que "não será imposta uma proibição geral de vistos para cidadãos russos"

A União Europeia vai suspender um acordo com a Rússia que facilita a concessão de vistos. A informação foi avançada esta quarta-feira pelo ministro dos Negócios Estrangeiros da Hungria, Peter Szijjarto.

Citado pela Reuters, o governante salienta, contudo, que "não será imposta uma proibição geral de vistos para cidadãos russos". "Vários estados-membros levantaram a sua voz contra isto, incluindo eu próprio".

A informação da suspensão do acordo foi confirmada por João Gomes Cravinho. À saída da reunião com homólogos, que decorreu em Praga, o ministro dos Negócios Estrangeiros que a parceria da União Europeia com a Rússia "já não existe" e que, por isso, "não há razão nenhuma para termos em relação à Rússia um mecanismo de facilitação de vistos que nós também não temos com outros países do mundo".

A medida anunciada por Szijjarto vai contra o pedido do governo ucraniano, que exige que a União Europeia proíba totalmente a entrada de russos nos seu espaço. 

“O tempo para meias medidas acabou. Só uma política dura e consistente pode produzir resultados. Uma proibição da concessão de vistos para turistas russos será uma resposta adequada à guerra genocida da Rússia no coração da Europa, apoiada por uma esmagadora maioria dos cidadãos russos" afirmou esta quarta-feira Dmytro Kuleba, ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, à Reuters.

Os pedidos ucranianos têm dividido o bloco dos 27. Os países do Norte e do Leste, como a Estónia, a Letónia e a Suécia, são favoráveis à proibição. Por outro lado, Estados como a Alemanha e a França mostram-se reticentes em aplicá-la.

Europa

Mais Europa

Patrocinados