Vários mortos e uma barragem destruída. Tempestade Ana deixa rasto de destruição em Moçambique e no Malawi

25 jan, 21:27

Informações preliminares das autoridades locais dão conta de pelo menos 14 mortes nos dois países

A tempestade tropical Ana, que atingiu a costa africana na segunda-feira, deixou um rasto de destruição em Moçambique e no Malawi. Segundo avança a agência Reuters, que cita informações preliminares das autoridades locais, as chuvas e ventos fortes provocaram pelo menos 14 vítimas mortais nestes dois países.

As inundações provocadas pela tempestade tropical Ana já fizeram dez mortos em Moçambique, à medida que a depressão avança para o interior, de acordo com as mais recentes informações das autoridades locais e da proteção civil. Seis óbitos foram reportados durante a tarde desta terça-feira, com a subida de caudal dos rios nos distritos de Macanga e Tsangano, anunciou o governador da província de Tete, Domingos Viola, num balanço provisório.

Outras duas pessoas morreram arrastadas pela corrente do rio Licungo na segunda-feira, em Mocuba, Zambézia, e mais dois óbitos foram esta terça-feira notificados pelo Instituto Nacional de Gestão de Desastres (INGD) a partir da província de Manica, um dos quais devido ao desabamento da parede de uma habitação.

As províncias de Zambezia e Tete são as mais afetadas. Há relatos que caiu uma ponte, interrompendo a ligação entre a cidade de Tete e o distrito de Moatize. Algumas viaturas da comitiva do governador de Tete, com os ocupantes a salvo, foram também arrastadas pela corrente enquanto decorria uma visita ao terreno, durante a passagem da tempestade.

"Temos três pessoas sobre as árvores e estamos à espera de uma embarcação” para prestar socorro, disse Domingos Viola, citado pelo portal informativo O País. O forte caudal está a afetar milhares de residentes em zonas ribeirinhas, acrescentou.

Também o Departamento de Assuntos de Gestão de Desastres do Malawi informou que uma pessoa morreu esta terça-feira e 30 ficaram feridas, com famílias deslocadas refugiadas das inundações em igrejas e escolas.

A tempestade provocou um apagão no Malawi. Cerca das 16:00 desta terça-feira, apenas 30% da capacidade de eletricidade instalada do país estava disponível.

De acordo com a empresa de energia do Malawi, EGENCO, citada pela Reuters, a central hidroelétrica de Kapichira, na fronteira entre os dois países, "foi seriamente danificada", com a estrutura da barragem "parcialmente destruída durante as inundações" 

Apesar de a tempestade avançar em direção ao Zimbabué, está prevista para os próximos dias a continuação de chuva intensa, capaz de provocar inundações repentinas e deslizamento de terras no norte de centro de Moçambique.

A passagem da tempestade em Madagáscar causou a morte a 39 pessoas e cerca de 65 mil ficaram sem casa, desde o final da semana passada, segundo as autoridades locais, enquanto no Malawi pelo menos quatro pessoas morreram.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

África

Mais África

Patrocinados