Sete anos de prisão para autor de seis furtos que abalroou GNR em Amares

Agência Lusa , AM
10 dez 2021, 13:11
GNR
GNR

Crimes aconteceram em outubro de 2020. Em tribunal, arguido confessou os crimes e acabou condenado

PUB

O Tribunal de Braga condenou a sete anos de prisão um homem que efetuou seis furtos e abalroou uma viatura da GNR durante uma perseguição que lhe foi movida, em outubro de 2020, em Amares.

Por acórdão de 9 de dezembro, consultado esta sexta-feira pela Lusa, o arguido foi condenado pelos crimes de furto, por um crime de resistência e coação sobre funcionário e um crime de dano qualificado.

PUB

Na medida da pena, pesaram os vastos antecedentes criminais do arguido.

Os crimes ocorreram todos em outubro de 2020, tendo o primeiro sido registado no dia 6, quando o arguido se apoderou de um automóvel que estava estacionado em Lourosa, Santa Maria da Feira (Aveiro).

No dia seguinte, o arguido furtou um outro automóvel em Silvares, Guimarães (Braga).

No dia 9, o arguido atestou o depósito num posto de abastecimento de combustíveis em Oliveira de Azeméis (Aveiro) e fugiu sem pagar.

No dia 16, o arguido arrombou um carro do Centro de Saúde da Póvoa de Lanhoso (Braga) e levou dinheiro, lancheiras, documentos pessoais, chaves e material médico e de enfermagem.

PUB
PUB
PUB

Ainda no mesmo dia, também na Póvoa de Lanhoso, arrombou outro carro, prosseguindo depois no sentido de Amares, no distrito de Braga.

A GNR encetou, entretanto, uma perseguição, tendo o arguido abalroado a viatura policial em Amares, conseguindo escapar.

A GNR mobilizou várias patrulhas para a perseguição, tendo o arguido sido detido pouco depois em Adaúfe, Braga, após se ter despistado e embatido contra um muro.

Em julgamento, o arguido confessou integralmente os factos.

Na medida da pena, o tribunal teve em conta os vastos antecedentes criminais do arguido, que soma 18 condenações desde 2007 por crimes de roubo, condução sem habilitação legal, furto, detenção de arma proibida, tráfico de estupefacientes, condução perigosa e burla informática.

No processo agora sentenciado em Braga, havia um outro arguido, que foi absolvido, por falta de provas.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados