Rússia: Brittney Griner condenada a nove anos de prisão

4 ago, 16:22
Brittney Griner (AP)

Jogadora foi condenada por tráfico e posse de droga

A jogadora de basquetebol Brittney Griner foi esta quinta-feira condenada a nove anos de prisão por um tribunal de Moscovo.

A norte-americana, medalhada de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio 2016 e Tóquio 2020, foi considerada culpada de tráfico e posse de droga.

A basquetebolista foi detida em fevereiro deste ano pelas autoridades russas no Aeroporto de Sheremetyevo após ser apanhada com menos de um grama de óleo de canábis na sua posse, ilegal na Rússia. Durante a sessão no tribunal desta quinta-feira, Griner reiterou a sua inocência.

"Nunca quis fazer mal a ninguém, nunca quis pôr em perigo a população russa, nunca quis infringir nenhuma lei aqui. Cometi um erro honesto e espero que a sua decisão que não ponha fim à minha vida aqui. Sei que toda a gente continua a dizer que sou um peão utilizado para fins políticos, mas espero que isso fique longe desta sala de tribunal. Não tinha intenção de infringir qualquer lei russa", afirmou.

Griner declarou-se culpada numa tentativa de assumir as responsabilidades e conseguir alguma clemência por parte da justiça russa, referiram os seus advogados. Para além dos nove anos de prisão, a basquetebolista tem também de pagar uma multa de um milhão de rublos, cerca de 16 mil euros.

A defesa da norte-americana já comunicou que vai recorrer de decisão. Os advogados confessaram estar "desapontados" com o veredito, referindo que a justiça russa ignorou as provas e, sobretudo, a declaração de culpa.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, reagiu à decisão, afirmando que a sentença imposta a Brittney Griner é "inaceitável". Citado pela Reuters, Biden pediu à Rússia para libertar Griner "imediatamente", e assegurou que a sua administração tentará "todos os caminhos possíveis" para trazer a jogadora de volta para os Estados Unidos.

Europa

Mais Europa

Patrocinados