“PSD decidiu estar mais próximo de Costa do que de Sá Carneiro”, critica líder do CDS

8 dez 2021, 19:26
Francisco Rodrigues dos Santos
Francisco Rodrigues dos Santos

Francisco Rodrigues dos Santos reagiu esta quarta-feira no Facebook

PUB

Francisco Rodrigues dos Santos já reagiu à decisão do PSD de não avançar com uma coligação com o CDS nas próximas eleições legislativas.

Numa publicação feita esta quarta-feira na sua conta de Facebook, o líder do CDS criticou a decisão de Rui Rio e garantiu que o CDS não irá “viabilizar nenhum arranjinho com a esquerda”.

PUB

“O PSD decidiu estar mais próximo de António Costa do que de Sá Carneiro. Podendo escolher a Aliança Democrática, recusou-a”, escreveu Francisco Rodrigues dos Santos.

Na mesma publicação, o líder dos centristas diz que respeita "a estratégia" e que saúda "a clarificação”, salientando que “é uma oportunidade para o CDS afirmar a única alternativa de direita responsável, aberta a todos os portugueses que querem derrotar o PS”.

"Que fique claro: um voto no CDS não servirá para formar um Bloco Central, nem para viabilizar nenhum arranjinho com a esquerda”, garante.

 

Rui Rio anunciou esta terça-feira que o PSD vai sozinho às eleições legislativas, que decorrem dia 30 de janeiro.

PUB
PUB
PUB

"Neste momento é mais vantajoso para o PSD concorrer sozinho". Rui Rio explicou assim a decisão da Comissão Política Nacional, que decidiu que o PSD vai sozinho a eleiç\oes, desejando que o CDS e o PPM tenham um bom resultado, e admitindo que algumas pessoas vão ficar descontentes.

No final do mês de novembro, Francisco Rodrigues dos Santos defendeu que o cenário de coligação apresentava “algumas vantagens” e “obedece a um princípio de coerência” que o CDS-PP tem firmado com o PSD. Porém, tinha já deixado claro que não iria “pedinchar nenhuma coligação”.

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Partidos

Mais Partidos

Patrocinados