Novak Djokovic ganha em tribunal e não vai ser deportado

10 jan, 06:57

Decisão ainda pode ser contestada pelo governo federal

Um juiz australiano decidiu que Novak Djokovic deve ser libertado do centro de detenção em Melbourne e que pode entrar na Austrália, avança a Reuters.

O juiz Anthony Kelly considerou a decisão do governo australiano de revogar o visto do tenista "despropositada" e ordenou a sua libertação em 30 minutos e que os documentos lhe fossem entregues de imediato, bem como o pagamento das despesas legais do Djokovic.

A decisão permite que o tenista sérvio possa participar no Open da Austrália. No entanto, os advogados do governo federal ainda podem contestar a decisão.

O tenista, número um mundial, aterrou no aeroporto de Melbourne na quarta-feira à noite para participar no Open da Austrália, que decorre de 17 a 30 de janeiro.

Após a chegada, as autoridades de imigração revogaram o visto por alegadamente não ter cumprido os requisitos de entrada que procuram prevenir a propagação da covid-19 no país, apesar de uma isenção que lhe permitia entrar no país sem vacinação.

A defesa de Djokovic alega que o jogador de ténis recebeu uma avaliação por correio eletrónico do Departamento de Assuntos Internos australiano na qual se indicava que o sérvio era elegível para entrar no país sem quarentena, embora o Governo de Camberra argumente que isto não constituía uma garantia de entrada.

Djokovic - conhecido por se opor à imunização obrigatória contra a covid-19 - quer que o seu estatuto seja clarificado para que possa ser considerado para o sorteio do torneio de ténis australiano.

Desporto

Mais Desporto

Patrocinados