EUA anunciam nova vaga de sanções e UE e G7 apertam o cerco à evasão das sanções

CNN Portugal , com Lusa
24 mar, 16:26
Joe Biden (Getty Images)

Os países do G7 e da União Europeia vão sancionar as transações envolvendo reservas de ouro da Rússia, para evitar que Moscovo contorne as sanções impostas pelo Ocidente

Os Estados Unidos da América anunciaram uma nova vaga de sanções, esta quinta-feira, que visam várias empresas ligadas à área da Defesa e 328 membros do parlamento russo, anunciou o Departamento do Tesouro norte-americano. O objetivo é “apertar o certo” à elite russa, em coordenação com a União Europeia e o grupo de países que compõem o G7.

Esta mais recente vaga de sanções estende-se ao diretor executivo do Sberbank, Herman Gref, que pertence ao grupo restrito de Vladimir Putin, prestando aconselhamento ao presidente russo desde a década de 90.

Os membros do G7 e da União Europeia anunciaram também a criação de uma iniciativa de partilha de informação e coordenação de respostas para contrariar medidas evasivas às sanções impostas em conjunto.

“Qualquer transação envolvendo ouro, relacionada com o banco central da Rússia, fica abrangida pelas sanções existentes", indicou a presidência norte-americana, enquanto decorre em Bruxelas uma série de cimeiras internacionais dedicadas à guerra na Ucrânia, incluindo uma cimeira do G7 e uma cimeira do Conselho Europeu.

"Queremos fechar qualquer possibilidade de a Rússia utilizar o seu ouro para apoiar a sua moeda", explicou um funcionário do Governo dos EUA, que sublinhou que Moscovo detém uma reserva “considerável” daquele metal precioso.

A mesma fonte assegurou ainda que os países do G7 estão "unidos" ao considerar que "as organizações internacionais e organismos multilaterais não devem continuar as suas atividades com a Rússia como se nada tivesse acontecido".

Estas medidas fazem parte do debate sobre a eventual participação do Presidente russo, Vladimir Putin, na próxima cimeira do G20, na Indonésia, sabendo-se que a China já fez saber que defenderá a presença do líder russo

Europa

Mais Europa

Patrocinados