"Está assustado e disposto a colaborar". Jovem suspeito de matar adepto do FC Porto entregou-se à PJ

10 mai, 11:42

Poliana Ribeiro - advogada do arguido - revelou ainda que o Renato está "preocupado" e "assustado"

À saída do edifício da Polícia Judiciária (PJ) do Porto, a advogada do jovem de 19 anos suspeito de matar um adepto do FC Porto, de 26 anos, durante os festejos do título, na madrugada do passado sábado, garantiu que este "está disposto a colaborar e esclarecer a verdade".

De acordo com Poliana Ribeiro, Renato - nome do suspeito - está "preocupado" e "assustado" com toda a situação e ainda não é claro se será presente ao Tribunal de Instrução Criminal ainda esta segunda-feira. A especialista em direito acrescenta ainda que foi o jovem que tomou a iniciativa de se entregar à Polícia Judiciária. A advogada rejeitou, no entanto, revelar onde o arguido se encontrava desde a ocorrência.

“Houve uma entrega. Houve uma comunicação feita por parte do Renato, mas, obviamente que foi a Polícia Judiciária que o foi buscar a determinado local, depois de ele informar onde estava”, referiu a advogada Poliana Ribeiro à porta do edifício da PJ do Porto.

Segundo o comunicado da PJ, os confrontos aconteceram na Alameda das Antas, junto ao Estádio do Dragão, como retaliação por uma sucessão de agressões que, desde janeiro deste ano, vinham ocorrendo entre o arguido, familiares deste e a vítima. Na madrugada de sábado e durante a festa dos dragões, um grupo de homens, entre eles Renato, perseguiu a vítima, alcançando e agredindo a mesma com murros e pontapés. 

Após intervenção de alguns populares, que acabaram também agredidos, a vítima tentou afastar-se do local, vindo a ser surpreendida pelo suspeito de 19 anos, que com uma arma branca de dimensões significativas, atingiu repetidamente e com extrema violência, provocando-lhe a morte. 

Vítima chamava-se Igor Silva e tinha sido jogador de futebol

A vítima mortal era Igor Silva, adepto do FC Porto e ex-jogador de futebol. Era ponta-de-lança e representou o FC Infesta na época passada.

Tinha dupla nacionalidade, portuguesa e cabo-verdiana, e residente na Freguesia de Ramalde, Igor passou pela formação de clubes como Leixões, Progresso, Rio Ave e Gondomar até 2012.

Igor acompanhou a equipa portista no clássico do Estádio da Luz frente ao Benfica e esteve igualmente no Estádio do Dragão para receber os campeões nacionais. Porém, já após o final das comemorações, acabou por ser mortalmente esfaqueado.

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados