Erdogan declara estado de emergência durante três meses. "Estamos perante uma das maiores catástrofes do mundo"

7 fev 2023, 12:03
Erdogan (Associated Press)

País regista, até ao momento, mais de 3.500 mortos e mais de 22.100 feridos

O presidente turco declarou esta terça-feira o estado de emergência durante três meses nas dez regiões afetadas pelo sismo. Em conferência de imprensa, citada pela agência turca Anadolu, Erdogan revelou que, até ao momento, foram registados 3.549 mortos e 22.168 feridos.

"Estamos a declarar as nossas 10 províncias onde se registaram sismos como zonas de catástrofe que afetam a vida geral e decidimos declarar o estado de emergência com base na autoridade que nos foi conferida pelo artigo 119 da Constituição. Estamos perante uma das maiores catástrofes não só na história da nossa República, mas também na nossa geografia e no mundo. Temos 3549 mortos e 22.168 feridos. O nosso maior consolo é que mais de 8 mil dos nossos cidadãos tenham sido resgatados dos escombros até agora", afirmou Erdogan.

Erdogan diz ainda que o Estado começou a trabalhar nas zonas de catástrofe com todas as instituições e afetou 100 mil milhões de liras de recursos para a ajuda de emergência e atividades de apoio "à disposição das instituições em primeiro lugar".

"Atualmente, os nossos 53.317 agentes de busca e salvamento e pessoal de apoio estão a trabalhar na área dos destroços. O número está a aumentar a cada hora que passa com equipas da Turquia e do estrangeiro. A polícia está de serviço na área de desastre com pessoal especializado, bem como 26 aviões de carga e o nosso Comando da Guarda Costeira com os seus navios e barcos".

Sobre o material enviado para as áreas afetadas, Erdogan revelou que já foram enviadas 54 mil tendas, 102 mil camas, cerca de 1000 ambulâncias, 241 equipas especializada em assistência médica em desastres e cinco mil profissionais de saúde.

Segundo o presidente turco, o ensino foi suspenso até 13 de fevereiro nas escolas de todo o país e até 20 de Fevereiro nas escolas da zona da catástrofe.

O balanço provisório dos sismos ocorridos na segunda-feira na Turquia e na Síria aumentou para mais de cinco mil mortos, enquanto decorrem as operações de resgate nos escombros dos edifícios destruídos nos dois países.

Os abalos, o maior dos quais com magnitude 7,8 na escala de Richter, derrubaram milhares de edifícios no sul da Turquia e no norte da Síria. As equipas de socorro mantêm-se nos locais afetados, com os trabalhos dificultados pelas baixas temperaturas que se registam na região.

Médio Oriente

Mais Médio Oriente

Patrocinados