Cazaquistão: 164 pessoas foram mortas em protestos na semana passada

9 jan, 12:03
Carro da polícia incendiado durante protestos no Cazaquistão
Carro da polícia incendiado durante protestos no Cazaquistão

Ainda não está claro se se trata apenas de civis ou se há também  polícias entre as vítimas mortais

PUB

O Ministério da Saúde do Cazaquistão afirma que 164 pessoas foram mortas nos protestos que aconteceram no país ao longo da semana passada.

A informação está a ser avançada pela Associated Press, que dá conta que os números divulgados pelo canal público Khabar-24 indicam um aumento significativo em relação às contagens até agora feitas .

PUB

Segundo a agência de notícias, além do aumento do número de óbitos, ainda não está claro se se trata apenas de civis ou se há também  polícias entre as vítimas mortais, um cenário que é defendido pelas autoridades do Cazaquistão, que já anunciaram a morte de 26 guardas nacionais durante os protestos que têm decorrido no país.

Na sexta-feira, Kassym-Jomart Tokayev, presidente do Cazaquistão, tinha dado ordens à polícia e aos militares para dispararem de modo a recuperar o controlo dos prédios administrativos que foram ocupados por manifestantes. O aeroporto de Almaty, que foi ocupado pelos manifestantes na semana passada, permanece fechado, mas tudo indica que ficará operacional na segunda-feira.

PUB
PUB
PUB

O gabinete do presidente do Cazaquistão afirmou este domingo que cerca de 5.800 pessoas foram detidas pela polícia durante protesto contra um forte aumento nos preços do combustível, que começaram no oeste do país a 2 de janeiro. Não é ainda conhecido o número de detidos que permanece sob custódia.

Relacionados

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados