Archie Battersbee. Supremo rejeita recurso dos pais e máquinas vão ser desligadas às 11:00 desta quarta-feira

CNN Portugal , DCT
2 ago, 17:38

Os juízes argumentam que as máquinas de suporte de vida não iriam impedir que a criança morresse, dentro de semanas, por falência de órgãos e, em seguida, insuficiência cardíaca

O Supremo Tribunal do Reino Unido rejeitou, esta terça-feira, o recurso dos pais de Archie Battersbee para que o suporte de vida se mantivesse ligado. A decisão é que as máquinas sejam desligadas, avança a imprensa britânica, sendo que a Sky News, que cita a família da criança, diz que as máquinas vão ser desligadas às 11:00 (locais) desta quarta-feira.

Num comunicado emitido esta terça-feira, os juízes dizem que "têm grande simpatia pela situação", mas que os pais esgotaram os "direitos legais" para menter a criança ventilada. "O painel chega a esta conclusão com o coração pesado", lê-se no comunicado, que explica que, mesmo que o tratamento de manutenção da vida fosse mantido, Archie morreria no decorrer das próximas semanas por falência de órgãos e, em seguida, insuficiência cardíaca.

A mãe da criança, Hollie Dance, chegou a casa no dia 7 de abril e deparou-se com o filho, de 12 anos, inconsciente, com uma ligadura ao redor do pescoço. A mãe acredita que este foi o resultado de um desafio viral da rede social Tik Tok, conhecido como "Blackout Challenge", que consiste em apertar o pescoço até se perder a consciência por falta de oxigénio.

A criança foi transportada para o Royal London Hospital, em Londres, onde foi diagnosticada com "morte cerebral". O diagnóstico foi o início de uma batalha judicial entre o hospital e os pais de Archie, que se recusaram a aceitar a recomendação dos médicos para desligar as máquinas de suporte de vida que têm mantido os sinais vitais da criança, que está em coma há três meses.

Os médicos argumentam que o corpo da criança vai colapsar eventualmente, mesmo com os tratamentos de suporte de vida, mas a família mantém a esperança e recusa-se a acreditar que este será o desfecho de Archie. O caso foi a tribunal e os pais chegaram a recorrer às instâncias internacionais, nomeadamente à Organização das Nações Unidas (ONU) no âmbito da Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, que escreveu uma carta dirigida aos médicos daquele hospital a apelar para que as máquinas continuem ligadas.

 

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados