Sporting-Portimonense, 3-2 (crónica)

Rafael Vaz , Estádio de Alvalade, Lisboa
29 dez 2021, 23:09

Paulinho comprou três passas para o desejo de 2022

PUB

Não se livrou de um susto, mas o Sporting vai passar um réveillon feliz e, no pior dos cenários, a partilhar a liderança do campeonato com o FC Porto, que só entra em campo esta quinta-feira, frente ao Benfica.

No último jogo de 2021, e relativo à 16.ª jornada da Liga, os leões triunfaram na receção ao Portimonense, por 3-2, e terminam o ano invictos em casa para as competições internas.

PUB

Quis o destino, de resto, que o número 21 do conjunto verde e branco, Paulinho, decidisse a última partida de 2021, e logo com um hat-trick.

Mas já lá vamos.

Portimonense marcou... e irritou

Perante o clássico de quinta-feira, entre águias e dragões, era de elementar importância o Sporting levar de vencido esta quarta-feira o Portimonense. Triunfando, sabia que iria sempre ganhar pontos a pelo menos um dos rivais.

Mas a tarefa não foi fácil.

Não que a equipa de Ruben Amorim tenha facilitado: os leões entraram bem no jogo e a tentar «matar» à nascença o sonho algarvio, liderado por um Paulo Sérgio que montou uma das equipas mais sólidas do campeonato.

PUB
PUB
PUB

Só que lá está, este Portimonense sabe bem o que faz.

O trio de centrais dava segurança defensiva e permitia a Fali Candé, uma verdadeira «mota» no corredor esquerdo, lançar o pânico na defesa verde e branca. Na frente, Fabrício segurava para Nakajima tentar dar algum oxigénio ao jogo do Portimonense.

E os algarvios conseguiram meter Alvalade em alvoroço, com um autogolo de Matheus Reis aos 21 minutos numa jogada que nasceu precisamente de uma arrancada de Candé – e isto já depois de Nakajima ter atirado à trave de Adán.

A reação leonina não tardou, mas foi sempre feita aos trambolhões. Paulinho e Pedro Gonçalves não pareciam querer nada com o golo, Matheus Nunes pouco ou nada desequilibrava no corredor central, e só Sarabia e Nuno Santos foram tentando criar algo mais para assustar Samuel.

O Portimonense, por seu lado, pôs-se confortável no jogo e ainda conseguiu criar dúvida na cabeça dos jogadores e adeptos sportinguistas, durante quase uma hora de jogo.

Pedro Sá comprometeu, Paulinho tirou a barriga de misérias

PUB
PUB
PUB

Só que Pedro Sá precipitou-se, foi expulso por acumulação de amarelos aos 58 minutos e aí o jogo mudou.

Paulo Sérgio praticamente abdicou de ter uma referência ofensiva na frente e isso empurrou o Portimonense cada vez mais para a sua área. Era uma questão de tempo até ao Sporting marcar.

Paulinho tirou a barriga de misérias

E foi Paulinho a chegar-se à frente, em dose tripla.

Tantas vezes incompreendido, o avançado leonino comandou uma reação demolidora dos homens de Amorim e virou o jogo em pouco menos de 20 minutos… com um hat-trick.

O cabeceamento aos 66 minutos, após assistência de Nuno Santos – bela exibição do esquerdino –, desbloqueou um jogo que se tinha posto difícil para os homens de Amorim, e ofereceu aos adeptos leoninos um réveillon descansado e feliz – apesar de mais um susto do Portimonense no final, com o golo de Possignolo.

Paulinho comprou as passas, e o desejo sportinguista segue bem vivo para 2022: o do bicampeonato.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Sporting

Mais Sporting

Patrocinados