Itália: Berlusconi e Salvini já votaram. Meloni, que as sondagens apontam como vencedora, segura dois melões... "Já disse tudo"

CNN Portugal , com Lusa
25 set, 14:57
Giorgia Meloni segura em dois melões (Instagram)

Candidata de extrema-direita pode tornar-se na primeira mulher a governar Itália

Giorgia Meloni, a líder do partido Irmãos de Itália (Frateli di Italia, no original), que lidera as sondagens para as eleições legislativas em Itália, a decorrer este domingo, ainda não votou. Mas, no Instagram, deixou uma mensagem, no minimo, caricata. 

“25 de setembro. Já disse tudo”, afirmou a candidata, enquanto segurava em dois melões, numa alusão ao próprio apelido, Meloni - que significa "melões".

As mesas de voto italianas abriram às 07:00 horas locais (06:00 em Lisboa) para uma eleição geral que poderá fazer história: caso Meloni vença, torna-se a primeira mulher a chegar ao poder no país. A candidata da extrema-direita adiou a hora da votação, que estava prevista para as 10:00 da manhã, e anunciou entretanto que votaria só depois das 22:00 para não congestionar a mesa de voto - em Itália, é possível votar até às onze da noite.

Em sentido contrário, logo pela manhã, Matteo Salvini, antigo ministro do Interior e líder da Liga, partido de extrema-direita, e o secretário-geral do Partido Democrático (PD) de centro-esquerda, Enrico Letta, foram os primeiros líderes políticos a votar.

Salvini, membro da coligação de direita que as sondagens indicam que vai ganhar amplamente, votou em Milão (norte de Itálias), onde passará o dia das eleições na companhia da sua filha até ao encerramento das urnas, às 23:00 horas locais, hora a que serão conhecidas as sondagens à boca das urnas.

Matteo Salvini (EPA)

"O bonito é que se os italianos escolherem a Liga e o centro-direita, durante cinco anos o Governo, o primeiro-ministro e os ministros, os partidos e as alianças não mudarão (....) porque os últimos anos têm sido complicados", disse o líder da Liga, à qual as sondagens dão cerca de 12% dos votos.

Letta, chamado a ser chefe da oposição de acordo com as sondagens, votou em Roma, no bairro popular de Testaccio. Antes de ambos, o chefe de Estado, Sergio Mattarella, votou na sua cidade natal Palermo, na Sicília.

Enrico Letta à entrada do local de voto em Roma (EPA)

Ao final da manhã, Silvio Berlusconi, do Forza Italia, depositou o seu voto em Milão. "Todos em fila para votar, que bom, é a primeira vez que vejo uma fila para ir votar", referiu o candidato de 85 anos à imprensa. Até às 12:00 locais, apenas 19% dos eleitores tinham votado, refere o Corriere della Sera.

Silvio Berlusconi votou em Milão (EPA)

Berlusconi, Salvini e Meloni são os protagonistas da coligação de extrema-direita que deverá vencer as eleições: de acordo com as sondagens, os três partidos poderão obter cerca de 45% dos votos dos italianos, o que lhes permitirá ficar com dois terços das duas câmaras do parlamento e até alterar a Constituição.

VEJA TAMBÉM:

Eleições italianas: saiba quem são os principais candidatos a subir ao poder

A oportunidade de Meloni, a sombra de Berlusconi e Putin à espreita (e como a direita radical se tem tornado mais feminina)

Europa

Mais Europa

Patrocinados