George Soros alerta que a invasão da Ucrânia "pode ter sido o início da 3.ª Guerra Mundial" e a "civilização pode não sobreviver"

24 mai, 19:23
O magnata George Soros, fundador das Open Society Foundations (AP Photo/Ronald Zak)

O famoso investidor salienta que, apesar de Vladimir Putin continuar a insistir que a chamada "operação militar especial" na Ucrânia está a decorrer como planeado, a verdade é que o presidente russo percebeu agora que a invasão foi um erro e estará a preparar um cessar-fogo

O bilionário George Soros disse, esta terça-feira, que a invasão russa da Ucrânia poderá ter sido "o início da 3.ª Guerra Mundial" e alertou que a civilização "poderá não sobreviver" caso as forças russas não sejam derrotadas "o mais rápido possível".

Intervindo no Fórum Económico Mundial, que este ano decorre em Davos, o magnata George Soros começou por salientar que a invasão russa da Ucrânia, que começou há precisamente três meses, "abalou a Europa na sua essência".

“A União Europeia foi criada para evitar que isto acontecesse. Mesmo quando o conflito terminar, como eventualmente deve acontecer, a situação nunca voltará a ser a mesma. De facto, a invasão russa pode ter sido o início da 3.ª Guerra Mundial e a nossa civilização pode não sobreviver a isto", afirmou Soros.

Citado pela Reuters, o investidor, que ficou conhecido por ter apostado contra a libra em 1992, disse olhar para o conflito na Ucrânia como parte de um problema mais amplo entre sociedades abertas e sociedades fechadas, apontando a China e a Rússia como exemplo.

"A melhor - e talvez única - forma que temos de preservar a nossa civilização é através da derrota de Putin, o mais rápido possível", defendeu.

O famoso investidor acrescentou ainda que, apesar de Vladimir Putin continuar a insistir que a chamada "operação militar especial" na Ucrânia está a decorrer como planeado, a verdade é que o presidente russo percebeu agora que a invasão foi um erro e estará a preparar a negociação de um cessar-fogo.

Mas, para George Soros, acordar um cessar-fogo com Vladimir Putin é um "objetivo inatingível", uma vez o chefe de Estado russo "não é de confiança". "Quanto mais fraco Putin estiver, mais imprevisível se torna", acrescentou.

George Soros é natural da Hungria e cresceu numa família de judeus que sobreviveu aos nazis, antes de emigrar para o Reino Unido e, mais tarde, para os EUA. O magnata liberal é conhecido mundialmente por investir em organizações não-governamentais (ONG's) internacionais através da Open Society Foundations, uma rede internacional fundada pelo próprio em 1993.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados