Porque é que os gatos ficam doidos com esta planta

CNN , Katie Hunt
16 jun, 12:00
Gato

Os gatos rolam e esfregam o corpo em folhas de plantas como a videira-de-prata e a erva-gateira. Elas são não apenas intensamente agradáveis para os gatos: são também práticas.

Quando o seu amigo felino se esfrega, se enrola, mastiga e lambe folhas de erva-gateira, não é apenas brincadeira de alto nível provocada pelas qualidades intoxicantes da planta. O comportamento leva à libertação de certas componentes que podem proteger os gatos de mosquitos, de acordo com novas pesquisas realizadas no Japão.

Compostos chamados iridóides nas folhas da erva-gateira (Nepeta cataria) e da planta videira-de-prata (Actinidia polygama) atuam como repelente de insetos, uma vez que são libertados quando os gatos esfregam os seus corpos contra as folhas, descobriu a mesma equipa num estudo publicado no ano passado.

A erva-gateira, por vezes chamada hortelã-prateada, e a videira-de-prata são ambas plantas floridas com folhas aromáticas que crescem em muitos lugares do mundo. As suas folhas secas são também utilizadas em brinquedos para gatos.

As últimas pesquisas do grupo mostraram que a forma como os gatos lambem e mastigam as folhas provoca a libertação de 10 vezes a quantidade destes compostos, com a danificação das folhas a tornar as propriedades repelentes de insetos mais eficazes.

Com a ajuda de 16 gatos, os investigadores compararam as respostas felinas a folhas de videira-de-prata intactas e a folhas amassadas e rasgadas à mão pela equipa. Os gatos mostraram um interesse mais prolongado em interagir com as folhas danificadas do que com as intactas.

Depois, para testar se os felinos estavam a reagir especificamente aos iridóides, os gatos receberam pratos com nepetalactona pura e nepetalactol -- compostos ativos chave das ervas-gateiras e das videiras-de-prata, respetivamente.

"Os gatos mostram a mesma resposta aos cocktails de iridóides e plantas naturais, exceto para mastigar", disse Masao Miyazaki, professor no departamento de química biológica e ciências alimentares da Universidade de Iwate, no Japão, num comunicado de imprensa. "Eles lambem os produtos químicos no prato de plástico e esfregam-se e rolam sobre o prato".

É o cheiro da planta que desencadeia o comportamento, de acordo com a investigação.

"Quando os cocktails iridóides eram aplicados no fundo dos pratos que depois eram cobertos por uma cobertura de plástico perfurado, os gatos ainda lambiam e mastigavam, apesar de não conseguirem contactar diretamente os químicos", disse Miyazaki. "Isto significa que lamber e mastigar é um comportamento instintivo provocado pela estimulação olfativa dos iridóides".

No caso da videira-de-prata, a danificação das folhas desencadeou a libertação de outros iridóides.

"O nepetalactol representa mais de 90% do total de iridóides em folhas intactas, mas este desce para cerca de 45% em folhas danificadas à medida que outros iridóides aumentam grandemente", disse. "A mistura alterada de iridóides correspondente às folhas danificadas promoveu uma resposta muito mais prolongada nos gatos".

O trabalho poderá ajudar a identificar enzimas vegetais que podem ser usadas como repelentes de insetos para humanos, disse o estudo.

Miyazaki disse que a erva-gateira e a videira-de-prata não representavam risco para os gatos e não eram viciantes. As plantas provavelmente deram aos gatos uma sensação de "euforia", explicou por e-mail.

 

 

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Futuro

Mais Futuro

Patrocinados