Marcelo apoia Governo na recusa ao racionamento do gás pedida pela União Europeia

Agência Lusa , CV
22 jul, 23:04
Gás (Getty Images)

O Presidente considera que essa medida em nada poderia ajudar os outros países

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, defendeu esta sexta-feira que Portugal não deve racionar o gás, como defende a União Europeia, porque essa medida em nada poderia ajudar os outros países.

“Não pode ser Portugal e Espanha serem solidários, colaborando, sacrificando os seus nacionais, quando aquilo que poderiam dar de gás não é utilizado por outros países europeus, porque não há a possibilidade de conexão com esses países”, referiu o Chefe do Estado em declarações aos jornalistas.

A Comissão Europeia apresentou, na quarta-feira, um plano europeu de redução do consumo de gás na União Europeia de 15% até à primavera, quando se teme corte no fornecimento russo, admitindo avançar com redução obrigatória da procura perante alerta.

Na quinta-feira, o ministro do Ambiente reiterou a recusa da proposta da Comissão Europeia e contrapôs que Portugal entende que esta questão deve ser negociada em Conselho Europeu.

 

Relacionados

Governo

Mais Governo

Patrocinados