Italianos chamam-lhe "sacrilégio", mas cozer massa com o lume apagado funciona e pode ajudar a cortar na conta a luz

CNN Portugal , FMC
7 set, 12:10
Massa a cozer (Pexels)

Deixar o lume ligado durante dois minutos é suficiente para cozer uma panela de massa. A informação foi partilhada pelo Nobel da Física italiano mas já não é novidade, ainda que os amantes da "pasta" considerem um "sacrilégio" este método

Parece uma ideia descabida, mas cozer massa em lume brando ou mesmo com o lume desligado funciona e pode ajudar a poupar energia. Quem o diz? O último galardoado com o Nobel da Física, Giorgio Parisi.

O físico italiano lançou o debate e incendiou as redes sociais em Itália quando partilhou na sua página de Facebook uma publicação, de outro italiano, que explicava o procedimento. As reações foram acesas porque os italianos são ciosos da sua gastronomia e seguem religiosamente as instruções no pacote para a cozedura dos diferentes tipos de massa.

Numa altura em que as contas do gás e da eletricidade se tornam tornam cada vez mais pesadas no bolso dos europeus, todos os cêntimos contam e esta pode mesmo ser uma boa técnica para mitigar os efeitos da crise energética. A receita é simples: coloca-se uma panela com água ao lume, espera-se que a água ferva e depois introduz-se a massa e o sal. Dois minutos depois, o lume pode ser apagado, desde que a panela esteja tapada e que nunca se retire a tampa até ao final do tempo de cozedura da massa. Parisi reforça que a tampa é a chave para que funcione, uma vez que impede que o calor se perca pela evaporação. "O mais importante é manter a tampa sempre", escreveu nas redes sociais.

Segundo a publicação inicial, que foi partilhada pelo físico, com esta pequena alteração na cozinha "poupam-se pelo menos oito minutos de consumo de energia" que, acumulados em várias refeições, podem ter efeito nas despesas finais, mesmo que se trate de um valor residual.   

E se muitos amantes de "pasta" se têm mostrado céticos quando à eficácia deste método, chamando-lhe mesmo um "sacrilégio", outros já vieram dizer que, apesar de ter voltado a ganhar agora popularidade, desligar o lume para cozinhar não é novidade. O químico Dario Bressanini, por exemplo, disse à agência de notícias italiana ANSA que se sabe "há mais de 200 anos que não é a ebulição da água que coze, é simplesmente a temperatura da água que transfere o calor para a massa". 

Um estudo recente realizado pela Unione Italiana Food, associação de marcas italianas do sector alimentar, corrobora esta afirmação, destacando que esta forma de cozinhar  - de "cozedura passiva" - poupa até 47% de energia e emissões de CO2. 

Leia aqui sobre outros gestos que podem ser aplicados no dia-a-dia para melhor gerir a crise energética.

Economia

Mais Economia

Patrocinados