Ricardinho acaba época: «Focar no último Mundial pela seleção»

22 mar 2021, 15:33
Futsal: Portugal-Bielorrússia

Jogador português de futsal tem lesão no tendão longo, na perna direita

O jogador português de futsal Ricardinho terminou a temporada. O atleta de 35 anos do ACCS Paris sofreu uma rotura na perna direita, no tendão longo, enfrentando agora uma paragem de alguns meses que inviabiliza o regresso à competição ainda em 2020/2021.

Ricardinho esclareceu a ausência da quadra no último mês – não jogava desde meados de fevereiro – com a lesão em causa, justificando que optou por parar já e não jogar em esforço entre tratamentos, com vista a recuperar em pleno para olhar à próxima época e ao seu último Mundial de futsal por Portugal.

«Infelizmente venho informar-vos que a minha temporada chegou ao fim. Tive uma lesão na seleção, nos jogos com a Polónia [ndr: disputados a 29 de janeiro e 3 de fevereiro] e senti uma for muito forte aqui [apontou para a perna direita], o que me fez sentir uma dor grande. Fui fazer tratamento para fazer os dois jogos e, quando voltei ao clube, voltei a treinar, a fazer tratamentos para voltar a jogar, mas num dos treinos senti uma dor grande. Fui fazer exames e recebi uma notícia de que tinha uma rotura no tendão longo, que vai proibir-me de jogar os próximos meses», começou por dizer, num vídeo em direto na rede social Instagram, ao início desta tarde.

«Era uma decisão que eu tinha de tomar rápido, tinha de decidir que dava para jogar até final da época com tratamentos, ligaduras e forçar um pouco, ou então parar já, começar a tratar-me, pensar em tudo da melhor maneira e focar-me naquele que vai ser o meu último Mundial pela seleção. Optei pela segunda hipótese, em tratar-me nos próximos meses. Vou ser operado amanhã, já estou em Lisboa, vim fazer testes para ser operado amanhã pelo doutor da seleção e esperemos que corra tudo bem. Vai ser uma operação rápida, se tudo correr bem no próprio dia estarei em casa e é esperar para ver se corre bem a recuperação para, em três meses, poder voltar a estar a top para a ajudar a seleção e o ACCS», continuou, vincando que não pensa em mudar «de ares» ou sair do clube francês.

«Eu confio no projeto do ACCS, vou ficar no projeto nos próximos três anos, a não ser que me mandem embora (risos). Espero que não. Amanhã é dia de operação e vou deixando-vos a par de tudo. Está justificada a minha ausência, agora é ter força e capacidade de recuperação», rematou.

O Mundial de futsal 2021 decorre na Lituânia, de 12 de setembro a 3 de outubro.

Relacionados

Seleção

Mais Seleção

Patrocinados