Vinte desaparecidos em naufrágio durante passagem do furacão Ian pela Florida. Tempestade deixa mais de 2 milhões sem eletricidade

Agência Lusa , DCT
29 set, 05:57

O furacão Ian já havia passado por Cuba, matando duas pessoas e derrubando a rede elétrica daquele país caribenho.

Pelo menos 20 pessoas desapareceram, na sequência do naufrágio de uma embarcação que transportava migrantes cubanos, perto do arquipélago de Keys, no sudoeste do estado norte-americano da Florida, devido à passagem do furacão Ian. A Guarda Costeira norte-americana indicou ter conseguido resgatar três migrantes, enquanto quatro conseguiram nadar até à costa.

O furacão Ian, uma das tempestades mais poderosas já registadas nos Estados Unidos, causou inundações na Florida, na quarta-feira, cortando a energia a mais de dois milhões de pessoas, indicou o portal PowerOutage, que recolhe informação sobre apagões nos Estados Unidos.

"O centro do furacão Ian atingiu a costa perto de Key Coast, Florida, como um furacão de categoria quatro”, o segundo nível mais elevado, com ventos acima de 180 quilómetros por hora, disse na quarta-feira o Centro Nacional de Furacões norte-americano. Numa publicação na rede social Twitter, o centro alertou que "vagas catastróficas de tempestades, ventos e inundações" iam continuar à medida que a tempestade avança para o interior do estado.

Em Naples, no sudoeste da Florida, imagens do canal de televisão MSNBC mostraram ruas completamente inundadas e carros a flutuar na corrente. Na cidade de Fort Myers, as inundações foram tão severas que alguns bairros pareciam lagos.

A tempestade inundou a sala de emergência de um hospital em Port Charlotte, enquanto ventos fortes arrancaram parte do telhado da unidade de cuidados intensivos, disse a médica Birgit Bodine à agência de notícias Associated Press.

Furação Ian deixa mais de dois milhões de pessoas sem energia na Florida

O furacão Ian, uma das tempestades mais poderosas já registadas nos Estados Unidos, provocou inundações no sudoeste da Florida, cortando a energia a mais de dois milhões de pessoas, segundo a mais recente informação da CNN Internacional.

Cerca de 2,5 milhões de pessoas receberam ordens para abandonar as suas casas em 18 condados no sudoeste da Florida antes da chegada de Ian, que o centro descreveu como "extremamente perigoso".

Quase 21 milhões de pessoas vivem nas zonas que podem ser afetadas por apagões e inundações nas próximas horas, causadas por um furação que pode causar mais de 67 mil milhões de dólares (68,8 mil milhões de euros) em danos materiais, segundo a agência Bloomberg.

Na costa leste da Florida, o furacão trouxe chuvas fortes, com tornados registados em áreas ao redor de Miami que causaram dois feridos.

Em todo o estado são possíveis inundações repentinas, representando um perigo face aos resíduos da indústria de mineração de fertilizantes fosfatos em lagoas.

Mais de mil milhões de toneladas de sobras ligeiramente radioativas podem ser deslocadas devido às chuvas fortes.

O Governo federal enviou 300 ambulâncias com equipas médicas e está preparado para transportar 3,7 milhões de refeições e 3,5 milhões de litros de água assim que a tempestade passar.

Tempestade não abranda. Proximidade com Orlando leva Walt Disney a fechar os parques

As fortes chuvas que se fazem sentir na Florida têm dificultado o trabalho das equipas de resgate. Segundo a CNN Internacional, as missões de resgate e de resposta a emergências foram adiadas em algumas partes da região, devido às condições arriscadas da tempestade.

Cerca de 2.500 presos foram retirados e levados para outros estabelecimentos prisionais “mais bem equipados para resistir aos impactos da tempestade”, dizem as autoridades locais. 

As águas da enchente do furacão Ian inundaram ainda os estúdios e a redação da WINK TV, afiliada da CNN com sede em Fort Myers. 

O Aeroporto Internacional do Sudoeste da Florida, em Fort Myers, cancelou todos os voos para hoje, enquanto o Aeroporto Internacional de Orlando encerrou as operações de voo, diz o The New York Times.

A proximidade do furacão com Orlando levou a Walt Disney a encerrar os seus parques por precaução, tal como anunciaram esta quinta-feira no Twitter. 

O furacão Ian já havia passado por Cuba, matando duas pessoas e derrubando a rede elétrica daquele país caribenho.

Os governadores da Virgínia, Geórgia, Carolina do Sul e Carolina do Norte declararam preventivamente estados de emergência.

Os meteorologistas previram que Ian passará por aqueles estados como uma tempestade tropical, provavelmente com chuvas intensas, depois de cruzar a Florida.

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados