Quase dois terços dos funcionários públicos têm 45 ou mais anos de idade

Agência Lusa , DCT
17 dez 2022, 19:33
Getty Images

A idade média estimada aumentou em todas as carreiras, com exceção das carreiras médica e de investigação científica

Quase dois terços (64,5%) dos 741.127 trabalhadores das administrações públicas tinham, em junho, 45 ou mais anos de idade, segundo o Boletim Estatístico do Emprego Público (BOEP) relativo ao 1.º semestre do ano.

Segundo o documento da Direção-Geral da Amdministração e do Emprego Público (DGAEP), entre dezembro de 2011 e junho de 2022, verificou-se uma diminuição do número de trabalhadores em todos os escalões etários abaixo dos 45 anos.

"Neste período, a idade média dos trabalhadores da Administração Pública aumentou 4,4 anos (de 43,6 anos de idade em 2011 para 48,0 anos em 2022)", pode ler-se no BOEP.

A idade média estimada aumentou em todas as carreiras, com exceção das carreiras médica e de investigação científica.

O aumento do número de trabalhadores em idades mais avançadas registou-se, particularmente, nas mulheres entre os 55 e os 64 anos.

De acordo com o documento, as carreiras de oficial dos registos e notariado e administração tributária e aduaneira apresentavam, em junho, as idades médias mais elevadas (56,5 e 54,9 anos, respetivamente), enquanto as carreiras das forças armadas (34,5 anos), de bombeiro (40,2 anos) e médica (41,6 anos) detinham as idades médias mais baixas.

Ainda segundo o boletim, em junho, mais de metade dos funcionários públicos detinham habilitações ao nível do ensino superior, enquanto 26,5% tinham o ensino secundário e 18,3% o ensino básico.

Os dados mostram ainda que 12,1% dos trabalhadores tinham um nível de escolaridade superior a licenciatura, dos quais 8,9% com mestrado e 3,2% com doutoramento.

"O ensino básico e o doutoramento eram os únicos níveis de escolaridade com mais trabalhadores homens do que mulheres", indica o documento, realçando "a elevada proporção de mulheres entre os trabalhadores com bacharelato ou com licenciatura (acima de 70%)".

Entre dezembro de 2011 e junho de 2022, o número de postos de trabalho ocupados por trabalhadores com deficiência (incapacidade permanente igual ou superior a 60%) aumentou em 79%, passando de 11.918 para 21.329, um crescimento que se verificou "em todos os subsetores, destacando-se a administração central".

O BOEP refere ainda que, em junho, dos 30.572 trabalhadores existentes nas empresas públicas e entidades detidas pela administração central, 35,1% tinham entre 45 e 54 anos.

Já entre os 20.961 trabalhadores das sociedades do setor público detidas pela administração local, 30,8% tinham entre 45 e 54 anos, seguindo-se o escalão etário entre os 35 e os 44 anos, onde se situavam 26,9% dos trabalhadores.

A proporção de trabalhadores das empresas públicas e demais entidades públicas detidas pela administração central com habilitações ao nível do ensino superior era de 50,9%, sendo este indicador mais elevado nas sociedades financeiras (81,5%) do que no conjunto das sociedades não financeiras (39%).

Nas empresas e demais entidades detidas pela administração regional da Madeira e pela administração local o ensino básico era o nível de escolaridade predominante, correspondendo, respetivamente, a 63,9% e 48,5% dos trabalhadores.

País

Mais País

Mais Lidas

Patrocinados